Publicidade

Três homens foram presos pela Polícia Civil operação de enfrentamento ao abuso e exploração sexual contra crianças e adolescentes

Postado em 08/11/2020 17:45

Três homens foram presos pela Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) durante a operação Eu Acredito Em Você, de enfrentamento ao abuso e exploração sexual contra crianças e adolescentes, nesta semana, em Belo Horizonte. Os casos envolvem um idoso, de 80 anos, que abusava da neta; um homem, de 48, que aliciava menores através das redes sociais; e um policial militar reformado, de 51, que abusava da própria filha, de 16 anos.

As investigações foram realizadas pelas equipes da Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca) e mobilizaram cerca de 30 policiais, que realizaram levantamentos durante toda a semana. A chefe da Depca, delegada Iara França destacou que foram realizadas diligências para o cumprimento de 08 (oito) mandados de prisão, e dois de busca e apreensão. “Nesta semana foram cumpridos três dos mandados e a Depca continua em diligência para localizar os outros cinco indivíduos e garantir a responsabilização e o encerramento da operação “Eu acredito em você”.

As prisões

A primeira prisão ocorreu na terça-feira (3/11), em Contagem, após trabalho integrado de inteligência e investigação, onde por meio de uma denúncia anônima foi possível a identificação e representação por mandado de busca e apreensão que permitiu a prisão em flagrante do suspeito que aliciava meninas através de redes sociais.

Nas redes, o mecânico se apresentava com o nome de “Shinneider-BH” e, nos aplicativos de troca de mensagens, como “Smith”. Prints de conversas em aplicativos de mensagens entre o investigado e uma das vítima mostraram que ele enviava imagens pornográficas, supostamente dele com outras meninas entre 7 e 9 anos de idade, e pedia para que a vítima enviasse fotos dela também.

A delegada do caso, Renata Ribeiro, relata que os pedidos feitos envolviam poses e ações pornográficas inclusive com animais. “Em algumas imagens ele enviava cenas pornográficas com cachorros e pedia para que a vítima também fizesse a mesma coisa”. Em depoimento, o homem disse que não era ele nas imagens e que nunca encontrou as vítimas pessoalmente. “No entanto, o investigado pode responder por estupro, mesmo que tudo tenha ocorrido em ambiente virtual”, explicou a delegada.

Foram apreendidos diversos equipamentos eletrônicos com imagens pornográficas que serão periciados pela Polícia Civil. No mesmo dia, após publicação da sentença e expedição do mandado de prisão por condenação, o idoso foi localizado no bairro Ouro Minas, região Noroeste de Belo Horizonte. Ele foi condenado a 15 anos e 7 meses de prisão por estupro de vulnerável.

Em 2013, a vítima, então com 12 anos, denunciou o avô por abusos cometidos quando ela tinha entre 6 e 9 anos. Após as investigações, exames, relatos de testemunhas e da vítima, o homem foi julgado e condenado, em segunda instância. Na tarde de ontem (6/11), o policial militar reformado foi preso por abusar da própria filha de 16 anos. A adolescente denunciou o pai e contou que os abusos aconteciam desde que ela veio residir com ele em Belo Horizonte, no ano de 2017.

O delegado que efetuou a prisão, Diego Lopes, disse que a vítima contou que o pai prometia presentes e troca de fotos sensuais e toques libidinosos toques pornográficos. Pessoas próximas sabiam dos abusos e a colocavam como culpada da situação. “Um caso que mais uma vez foi preciso coragem dessa vítima para romper o silêncio e denunciar”, disse.

A corregedoria da Polícia Militar de Minas Gerais acompanhou a prisão preventiva representada pela Polícia Civil e encaminhou o investigado a uma unidade da corporação. A chefe da Divisão Especializada de Orientação e Proteção à Criança e ao Adolescente, delegada Elenice Cristine Batista Ferreira, chamou atenção para o nome escolhido para a operação: “Eu Acredito Em Você é uma forma da PCMG encorajar as vítimas a buscarem por ajuda, por responsabilização dos autores. É preciso falar sobre o assunto, respeitar meninas e mulheres, e demonstrar que o sistema de justiça pode ser efetivo”, afirmou.

Comente! *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Publicidade
Veja também
Publicidade

Noticias relevantes:

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
error: Este conteúdo é protegido!