Publicidade

Fazendeiro que plantava, processava e vendia maconha para o mundo todo é preso em João Pinheiro

Postado em 21/01/2021 11:13

Fazendeiro que plantava, processava e vendia maconha para o mundo todo é preso em João Pinheiro foto divulgação PM

Uma plantação e um laboratório especializado no processamento de maconha dignos de filme foram encontrados na manhã de ontem (20) pela Polícia Militar em uma fazenda próxima ao distrito de Veredas. No local, muitos pés da droga foram encontrados em um ambiente preparado. Até mesmo material para marketing para divulgação da maconha foi encontrado em um quarto da fazenda.

A cena encontrada na propriedade rural localizada nas proximidades do KM 299 da BR – 365 não perde para nenhuma super produção de Hollywood. Os policiais chegaram até lá após receberem uma denúncia anônima dando conta de que havia uma plantação de maconha no local, mas encontraram muito mais do que isso.

Quando chegaram no local, o proprietário não estava. Logo na entrada, os policiais já visualizaram muitos pés de maconha nos arredores da casa. Por isso entraram e, nos fundos da fazenda, encontraram um ambiente apropriado para o plantio com muitos pés da planta sendo cultivados. Neste momento, o proprietário da fazenda chegou.

Advertisement

Vander Francosa, de 64 anos, disse que cultivava a maconha porque sua mulher, Fabiana Beatriz Boodts, de 53 anos, sofre de uma doença cardíaca e faz o uso medicinal da droga. Diante de tudo que fora encontrado do lado de fora da casa, os policiais resolveram fazer buscas no interior da residência. Foi quando a ocorrência se tornou ainda mais interessante.

Muita droga foi encontrada em recipientes plásticos e em vidros de vários tamanhos. Maconha seca, triturada e em conserva, além de várias embalagens contendo sementes. Os policiais encontraram maconha até dentro da geladeira, praticamente em todos os ambientes da casa.

Maconha internacional, Instagram e marketing

Em um dos quartos da casa, um laboratório contendo vários tipos de sementes em embalagens com anotações sobre a qualidade e origem da semente foi descoberto. Ainda no quarto, o fazendeiro mantinha uma estufa e muita maconha embalada em saquinhos.

O que mais chamou a atenção da polícia foram cinco agendas que continham anotações em quatro idiomas, italiano, inglês, espanhol e português, com informações sobre a quantidade e descrição de locais para onde a droga, supostamente, havia sido enviada.

Além das agendas, vários panfletos e cartões de visita contendo o Instagram de divulgação da marca, panfletos de workshops e até mesmo um catálogo de lingerie com símbolos de maconha também foram encontrados.

Vander relatou que fazia o cultivo da planta para sua esposa e que havia mais de trinta tipos diferentes de sementes de cannabis sativa. Ele contou, também, que sua mulher Fabiana realizava o cruzamento de espécies para encontrar a melhor maconha, que produzisse óleo com alto teor de tetra-hidrocanabinol (THC).

O óleo, segundo informou o suspeito, era vendido para todo o Brasil. Disse, também, que importava sementes de diversas partes do mundo, como Holanda, Índia e de outros países da Europa.

Nenhum equipamento para extração de óleo encontrado

Apesar da versão apresentada pelo proprietário da fazenda, os policiais não encontraram nenhum equipamento que fizesse a extração do óleo da maconha.

Recentemente, uma guarnição da PM apreendeu maconha em Luizlândia do Oeste e um dos suspeitos presos na ocasião contou que comprava do homem proprietário da fazenda.

Diante de tudo que foi encontrado, Vander Francosa foi preso e encaminhado até a Delegacia, juntamente com todo o material apreendido.

Comente! *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Publicidade
Veja também
Publicidade
Publicidade
Publicidade
plataforma ead
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
error: Este conteúdo é protegido!