Sargento Elton rebate argumentos da prefeitura sobre pedido de impeachment

Postado em 08/12/2018 9:35

O vereador Sargento Elton (PATRI) divulgou na última sexta-feira (7), uma nota rebatendo os argumentos da Prefeitura de Divinópolis sobre o pedido de impeachment, protocolado por ele e outros quatro vereadores na Câmara Municipal. De acordo com a nota, Sargento Elton afirmou que o pedido é baseado em provas e fundamentações jurídicas e em momento algum se fundamentou nos buracos nas ruas, operação tartaruga na UPA, greve dos professores ou fechamento dos CMEIS. “Tais atos só ocorreram devido a falta de gestão do Prefeito Galileu e sua administração, o surgimento de novas provas que depõe contra os atos do prefeito são de conhecimento de todos, sobre tudo a confirmação legal dos áudios que envolvem trocadilhas de favores e cargos”, disse o parlamentar.

Elton ainda citou a CPI dos Áudios, que possui “a maioria da base do prefeito” e estaria “sem muita publicidade no momento”. O vereador também negou que o pedido de impeachment teria o objetivo de palanque político, negando a existência de uma perseguição. “Lembro ainda que não assinei tal documento sozinho. Cleitinho, Janete, Edson Souza e Roger colocaram seus nomes ao lado do meu para que esta insanidade pare em Divinópolis. Lembro a todos que não existe aqui perseguição em qualquer tipo de nome, pessoa ou representante, trabalho por uma cidade melhor, não tenho como me calar ao ver tudo o que esta ocorrendo contra os princípios fundamentais e os direitos básicos dos cidadãos. Sinto-me na obrigação como legislador, continuar firme e pelo que posso ver, ao lado da população”, declarou.

O vereador ainda citou um indiciamento de Galileu pelo Ministério Público por improbidade administrativa e afirma ter recebido provas de que o prefeito teria cometido infração politico administrativa.  Elton ainda citou um convite feito pela Câmara para que Galileu fosse até a Casa Legislativa para debater sobre a revisão da Planta de Valores do IPTU, projeto classificado pelo vereador como “orgia tributária”. Sargento Elton também afirmou que o prefeito “nunca respeitou o Legislativo”. “O senhor não o reconhece como poder, o senhor conhece como fração de poder, o que o senhor tem feito, dividido para governar”, argumentou. 

Confira a nota na íntegra

Divinópolis, 07 de Dezembro de 2018

Como representante eleito pelo povo de Divinópolis não estou aqui para debater picuinhas com o Prefeito Galileu, me atenho as provas e fundamentações jurídicas que estão no pedido protocolado na Câmara Municipal.

Em momento algum me fundamentei nos buracos que tomam todas as ruas da cidade, na operação tartaruga da UPA Padre Roberto, na greve dos professores, no fechamento de CMEIS, tais atos só ocorreram devido a falta de gestão do Prefeito Galileu e sua administração, o surgimento de novas provas que depõe contra os atos do prefeito são de conhecimento de todos, sobre tudo a confirmação legal dos áudios que envolvem trocadilhas de favores e cargos.

Foi sim, feita uma CPI na Câmara de Divinópolis com a maioria da base do prefeito, poderíamos dizer que sem muita publicidade no momento. Em momento algum pensei em palanque politico, pois, não preciso do mesmo, em toda minha vida meu trabalho honesto é minha referencia e assim o foi nas urnas. Lembro ainda que não assinei tal documento sozinho. Cleitinho, Janete, Edson Souza e Roger colocaram seus nomes ao lado do meu para que esta insanidade pare em Divinópolis.

Lembro a todos que não existe aqui perseguição em qualquer tipo de nome, pessoa ou representante, trabalho por uma cidade melhor, não tenho como me calar ao ver tudo o que esta ocorrendo contra os princípios fundamentais e os direitos básicos dos cidadãos. Sinto-me na obrigação como legislador, continuar firme e pelo que posso ver, ao lado da população.

O Ministério Público como fiscal da lei já indiciou o prefeito por improbidade administrativa na esfera jurídica, baseado em provas documentais e testemunhais. Eu, como representante do povo eleito vereador, tendo recebido várias provas que o prefeito Galileu cometeu infração politica administrativa contra a cidade de Divinópolis, improbidade administrativa como troca de cargos em favor de silêncio das tramoias feitas,
não poderia jamais me calar. Ainda, não responde a certos requerimentos parecendo estar escondendo algo. se vale do cargo de prefeito para ofertar vantagens ilícitas e beneficiar seus próximos.

Senhor prefeito é contumaz em crime contra administração pública, tem ainda, aumentado sua mancha que carrega, quando sua condenação saiu de mais de 2 anos de prisão, sem direito a recurso, iniciando o cumprimento da pena a partir do ano de 2021.Tenho sim, em uma fala eu concordo, tenho sangue sim, não nos olhos, tenho um sangue quente fervente e rápido que alimenta meu coração em busca de uma cidade mais justa. Nos meus olhos? Nos meus olhos eu tenho uma utopia de uma nova terra, nesta grande invenção do homem chamada “polis”. E na minha alma? Na minha alma eu carrego o preceito moral e cultural da minha fé, quando o justo governa o povo se alegra.

Mediante o enunciado da justiça, eu pergunto, onde está a reabertura do restaurante popular que o senhor prometeu? Onde estão as UPAS para cuidar das dores físicas e da alma que o senhor prometeu? Qual foi sua politica de gestão? Foi a politica do silencio, silencio com o Governador Pimentel, Silencio porque o vice governador era do seu partido.

A câmara municipal aprovou um convite para o senhor ir ate esta casa como legitimo representante para debater este projeto mal fadado, esta orgia tributário sobre IPTU. Para finalizar senhor prefeito, o senhor nunca respeitou poder legislativo, o senhor não o reconhece como poder, o senhor conhece como fração de poder, o que o senhor tem feito, dividido para governar. Senhor Prefeito esta represa de acúmulos e denuncias contra os ruídos, boatos e conversas de corredores, com toda certeza vai estourar, pois a gota da verdade no oceano da vida sempre vence.

Para finalizar, reconheço que o senhor ignora completamente o Regimento Interno da Câmara de Divinópolis, uma vez que a carrreira pública do Senhor foi desenvolvida somente no executivo.

O artigo 39 do regimento interno diz: “o vereador é inviolável por suas opiniões, palavras e votos proferidos no exercício do mandado, na circunscrição do Município”.

Tal medida do legislador Municipal foi de assegurar a liberdade e o direito para que o mesmo defendesse a sociedade contra as agressões do Estado Democrático de Direito.

Sargento Elton

Veja também
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Real Time Web Analytics