Renato Ferreira cobra “ações mais rápidas” para conclusão do Hospital Regional

Postado em 11/11/2017 14:50

O Programa “Bom Dia Divinópolis” recebeu na última sexta-feira (10) o Presidente da Comissão de Saúde da Câmara, Vereador Renato Ferreira que falou da possibilidade da falta de vigilância na obra paralisada do Hospital Público Regional. O contrato com a empresa responsável termina no fim de novembro e o Estado já notificou o prefeito Galileu Machado que não vai arcar com a despesa. Com 70% de conclusão da obra, existe a preocupação de que sem vigilância, o local se torne alvo de furtos e seja tomado por moradores de rua ou usuário de drogas.

Durante a entrevista, o vereador Renato Ferreira citou como possível solução um convênio com a EMOP para que o município ceda os rondantes. Renato citou que procuraria a SEMUSA para discutir a questão e o fato da paralisação das obras do hospital tem preocupado outros municípios da região.“Estivemos na Assembleia em setembro, numa audiência pública. Os 54 municípios da macrorregião foram convocados, falamos da preocupação, todos são favoráveis a conclusão do Hospital, faltam apenas 30% para concluir ele. O Governo do Estado devendo mais de 14 mensalidades para a UPA e mais de R$40 milhões para o município em questão de saúde. A gente fica muito preocupado porque lá é um local que vai atender 54 municípios”, disse.

O presidente da Comissão de Saúde da Câmara ainda citou que a ideia inicial seria SAMU e Hospital Regional iniciarem os trabalhos juntos. Porém, o Estado justifica que falta uma licitação para que a conclusão aconteça. Renato garantiu que a gestão passada fez a licitação em dezembro de 2016, informação confirmada a ele pelo superintendente da Usina de Projetos, Júlio Campolina. Segundo o vereador, o momento é de unir forças e continuar pressionando o Estado. “Protocolamos documento na comissão de saúde do Estado, na Assembleia Legislativa para a Secretaria de Governo e o secretário de saúde. Todos tem a documentação falando da real dívida do Estado com o município. É hora da população nos ajudar, a imprensa nos ajudar a cobrar”, completou.

Renato afirma que Galileu não tem culpa de todo o problema, mas como gestor do município, precisa buscar soluções já que o Estado não tem cumprido com os compromissos firmados para manter a estrutura da saúde em Divinópolis. O vereador ainda alertou que o momento necessita de ações rápidas e voltadas a população, sem a intenção de pensar em algo relacionado as eleições de 2018. “Quando ele foi eleito, sabia dos problemas do município. Acho que essa questão, não pode tirar a vigilância do hospital público e precisamos achar uma solução. Nessa audiência pública em Belo Horizonte estavam o prefeito de Carmo da Mata, secretário de saúde com Lagoa da Prata. Nós tivemos recentemente a notícia do Hospital em Pará de Minas fechando. Para onde ele for o paciente (de Pará de Minas) vai inchar o sistema. Temos que tomar ações mais rápidas e pensar na população, não pensar na eleição ano que vem”.

Obra abandonada do Hospital Público pode se tornar transtorno para moradores da região

Veja também
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com