Piadas sobre estupro sofrido contra futura ministra geram polêmicas na internet

Postado em 13/12/2018 18:08

Damares Alves, que foi indicada para o ministério de Mulheres, Família e Direitos Humanos, relata ter sido vítima de abusos sexuais na infância. A advogada de 54 anos relata que sofreu abusos entre seis e oito anos de idade. O criminoso era um tio da vítima.

Ao relatar o caso durante um culto gravado há alguns anos, Damares afirmou que aos 10 anos de idade sofria muito com as consequências psicológicas dos abusos e decidiu se matar. A pastora afirmou que subiu num pé de goiaba com uma dose de veneno de rato para suicidar quando teve uma visão de Jesus Cristo lhe impedindo de cometer o suicídio.

Nos últimos dias, o vídeo circulou em redes sociais ridicularizando a passagem em que a mulher afirma ter visto Jesus. Grupos, páginas de esquerda e até jornalistas postaram memes debochando do fato.

As postagens geraram revolta e notas de repúdio. Através do Twitter, o futuro presidente Jair Bolsonaro prestou solidariedade à Damaris.

“É surreal e extremamente vergonhoso ver setores da grande mídia debocharem do relato da futura Ministra Damares Alves sobre a fé em Jesus Cristo, que a livrou de um suicídio desejado por conta de abusos sofridos na infância. Lamentável!”

O episódio levantou novamente o debate acerca dos limites do humor.

Humoristas como Rafinha Bastos, Diogo Portugal e Léo Lins já enfrentaram críticas e processos por fazerem anedotas sobre estupro.

Em 2016, piadas sobre um estupro coletivo contra uma jovem de 16 anos no Rio de Janeiro circularam pelo país. Na época, grupos lançaram a campanha “Estupro não é piada, estupro é crime”.

Opiniões

“Eu me identifico com os valores de esquerda, mas nem por isso apoiaria manifestações nojentas como essa. Um caso de pedofilia transcende questões ideológicas”, relata Marina Barroso do Amaral, divinopolitana e ouvinte da Minas FM.

“Não vejo polêmicas. A piada é sobre o delírio de ter visto Jesus, e não sobre o estupro. Uma forma de lutar contra o fundamentalismo é o humor. A pastora defende questões que privam direitos das mulheres e isso é mais grave”, é a opinião do divinopolitano Vinícius Maia, estudante de Direito em Divinópolis.

Damares se declara como sobrevivente da pedofilia. A pastora é advogada e educadora. No passado, foi auxiliar parlamentar do senador Magno Malta (PR).

Veja também
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com