Polícia Civil prende cinco acusados de torturar e matar jovens em Cajuru

Postado em 18/09/2018 15:53

Quinteto é acusado de cometer um dos crimes mais brutais da história do Centro-Oeste.

 

 

 

 

A Polícia Civil realizou as prisões de cinco elementos envolvidos no assassinato das jovens Rafaela Caroline Ferreira dos Santos (19) e Brenda Lorraine Santiago (19). No dia 29 de agosto de 2018, os corpos das duas jovens foram encontrados carbonizados numa estrada da zona rural de Carmo do Cajuru, sentido ao município de Itaúna.

A Polícia Civil iniciou um forte trabalho de investigação desde então. Hoje (18) foram apresentados os acusados:

Os detalhes são assustadores.

Desavenças

De acordo com a polícias, as vítimas Brenda e Rafaela possuíam inimizades com os autores. Um dos motivos é o fato de Brenda ser ex-namorada do elemento Felipe Alves de Oliveira, primo das acusadas Nayara e Thamires.

Brenda relatava que Felipe não aceitava o término do relacionamento, e assim fazia constantes ameaças de morte contra a jovem.

Semanas antes do crime, as vítimas se envolveram em brigas contra as acusadas. O fato ocorreu durante uma festa. Familiares e amigos de Nayara e Thamires juraram vingança.

Traição

Além disso, a acusada Gleiciane suspeitava que Rafaela teria envolvimento com seu namorado Leonardo Henrique, também acusado de cometer o crime.

Vingança, Tortura, Premeditação

Para se vingar das inimigas, os cinco elementos juntaram forças na elaboração de um plano cruel.

Brenda e Rafaela foram atraídas até uma residência no bairro Morada Nova com a promessa de que participariam de uma festa para beber e se divertir.

A suposta festa era um emboscada praticada pelos autores. No local, as garotas foram imobilizadas e brutalmente espancadas pelo quinteto.

Durante as torturas, as jovens chegaram a ser perfuradas por golpes de faca. Peritos detectaram 23 perfurações em Brenda, e 19 golpes no corpo de Rafaela.

Segundo confissão de um dos autores, a tortura levou cerca de uma hora.

As vítimas não resistiram aos ferimentos e morreram em decorrência da perda de sangue.

Corpos Carbonizados

Para se livrar dos corpos, os acusados levaram os cadáveres até uma estrada rural na divisa entre Itaúna e Carmo do Cajuru. Lá, atearam fogo nas vítimas.

Peritos detectaram que as áreas de maior ateamento de fogo foram nos rostos e nas genitálias das jovens, revelando o grau de ódio pessoal por parte dos criminosos contra as vítimas.

Prisões

Os cinco elementos já se encontram presos no presídio Floramar, em Divinópolis.

O crime chocou as cidades de Itaúna e Carmo do Cajuru e é considerado um dos mais cruéis da história do Centro-Oeste.

 

Uma das jovens encontradas mortas em Cajuru tinha passagens por tráfico

Veja também
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios