Publicidade

Pai de santo vira suspeito de violência sexual

Postado em 24/07/2020 15:25

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) cumpriu mandado de prisão preventiva em desfavor de um homem, de 45 anos, suspeito de abusar sexualmente de mulheres em um terreiro de umbanda, do qual é dirigente e médium, na cidade de Arceburgo, Sul do estado. Até o momento, três vítimas, com idades entre 28 e 38 anos, incluindo a enteada dele, foram identificadas. Outras cinco pessoas, possivelmente violentadas, estão sendo ouvidas pela PCMG.

O inquérito policial apura o crime de violação sexual mediante fraude. As investigações começaram no início da semana. Foi apurado, até o momento, que o investigado, enquanto na função pai de santo, sob o argumento de que as vítimas estavam com problemas espirituais, sugeria que elas passassem por sessões de cura. Na ocasião em que realizava esses “trabalhos”, o suspeito praticava os abusos.

De acordo com a Delegada Ariadya Tavares, há relatos de que o investigado convidava suas vítimas para reuniões reservadas, onde estivessem somente ele e a paciente. Na oportunidade, o pai de santo explicava que para a realização do trabalho espiritual era necessário que a mulher ficasse nua. “A partir daí, o suspeito iniciava a prática de atos libidinosos, que iam desde o toque no corpo até a conjunção carnal”, detalha.

A Delegada explica que o cumprimento da prisão, de imediato, era fundamental. “Como o suspeito permanecia realizando as sessões em seu terreiro, existia o risco de outras mulheres virem a sofrer os abusos. Ademais, o investigado possui relação de parentesco com uma das vítimas. A prisão era medida urgente e necessária”, explica.

Os levantamentos da Polícia Civil prosseguem com o intuito de identificar outras possíveis vítimas. O suspeito foi encaminhado ao Sistema Prisional e encontra-se à disposição da Justiça.

A ação foi realizada pela Delegacia de Polícia Civil em Monte Santo de Minas, com apoio da equipe da PCMG em Itamogi.

Comente! *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Publicidade
Veja também
Publicidade

Noticias relevantes:

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
error: Este conteúdo é protegido!