Goleiro Bruno é absolvido em processo por vídeo com mulheres e cerveja

Postado em 07/11/2018 8:36

O goleiro Bruno Fernandes teria sido absolvido em um processo administrativo interno aberto para analisar a denúncia de que ele estaria em um suposto bar na companhia de duas mulheres e com uma lata de cerveja enquanto trabalhava nas obras da Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac) de Varginha, no Sul do Estado. O jogador teria trocado mensagens de celular com uma das mulheres para marcar o encontro.

O caso foi mostrado por uma emissora de TV no dia 17 de outubro. A informação é do advogado de defesa do goleiro, Fábio Gama. De acordo com Gama, diversas testemunhas foram ouvidas nas últimas semanas após uma comissão ser formada para investigar o caso. Entre os ouvidos, segundo o advogado, estavam funcionários da Apac, que explicaram o funcionamento do local, e outras testemunhas. Segundo o advogado, vídeos e provas documentais foram apresentados para a comissão formada por membros da Secretária de Administração Prisional (Seap).  “Ficou provado que  não houve a ingestão de bebida alcoólica na ocasição. As mulheres que aparecem no vídeo também não eram garotas de programa e sim fãs, e o local que aparece nas imagens era o próprio espaço de socialização, não era um bar.

Algumas fãs queria encontrar com ele e pedir autógrafo. Na Apac é permitido o uso de celular para comunicação com familiares, parentes e advogados. O Bruno usou o celular de um funcionário e somente explicou para a fã como chegar faria para chegar ao local”, afirmou o advogado. Segundo Gama, uma terceira pessoa quis obter vantagem financeira com a divulgação do caso. “Não é a primeira vez que fazem isso com ele. Não posso passar mais detalhes, como valores, porque é um procedimento que está em investigação. O Bruno ficou extremamente indignado com a situação”, revelou o advogado. 

Com a absolvição do processo administrativo, de acordo com o advogado do goleiro, ele manterá o requirimento para a progressão de pena, para o regime semiaberto. “É um processo interno, vão encaminhar a decisão para o juiz. Quando ele tiver conhecimento desta decisão, ele poderá apreciar o pedido para o semiaberto”. Procurada,a Secretária de Administração Prisional (Seap) informou que o Conselho Disciplinar do Presídio de Varginha se reuniu para discutir o Processo Administrativo Disciplinar (PAD) instaurado em função de supostas faltas cometidas pelo preso Bruno Fernandes. De acordo com a pasta, o resultado dessa avaliação é uma decisão administrativa, que será encaminhada à Justiça, a quem cabe a decisão no âmbito processual jurídico. Suspensão No dia seguinte a divulgação das imagens, a Justiça suspendeu o direito de trabalho externo do jogador e negou o pedido de progressão de pena do goleiro Bruno. 

Na decisão, o Juiz Tarciso Moreira de Souza dizia que as imagens registradas por uma emissora de TV mostravam Bruno “em uma suposta conduta contrária aos preceitos da execução de pena”, “podendo a conduta supostamente configurar a prática de eventual falta grave”. Na época, o magistrado solicitou a abertura de um procedimento administrativo disciplinar para a apuração da suposta falta, além de informações da Apac sobre os fatos e a mídia de reportagem da TV.  Diante do caso, o Ministério Público de Minas Gerais pediu à Justiça a suspensão dos direitos de Bruno, inclusive a progressão de regime, além da transferência do goleiro para outra unidade prisional, uma vez que o Presídio de Varginha, onde Bruno cumpre a pena, “Está superlotado e foi considerado insalubre, o que motivou inclusive a sua interdição parcial”. 

Bruno cumpre pena em regime fechado desde 2010. Ele tinha permissão para trabalho concedido pelo poder judiciário e trabalhava nas obras de construção da Apac de segunda à sexta-feira, entre 07h e 18h. Segundo a Secretária de Administração Prisional, presos com permissão judicial para o trabalho não necessitam de escoltam de agentes penitenciários.  O goleiro foi condenado pelo homicídio triplamente qualificado de Eliza Samudio e por sequestro e cárcere privado do filho. Bruno estava preso em Varginha desde abril de 2017. 

.

Fonte: Jornal O Tempo

.

 

Goleiro Bruno é absolvido em processo por vídeo com mulheres e cerveja

Foto: Reprodução

Veja também
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Real Time Web Analytics