Empresário faz representação contra o ex Geno no Ministério Público

Postado em 22/02/2019 22:01

A briga judicial entre o empresário da dupla Gino & Geno ganhou um novo capítulo nesta sexta-feira, 22. O empresário da dupla acionou o Ministério Público e fez três Notitias Criminis contra o ex integrante.

Geraldo Alves dos Santos o antigo Geno foi citado nos crimes de tortura psicológica, usura e extorsão. Na ação de usura Waguinho faz menção a emprestimos a juros abusivos. Em um dos trechos ele cita um montante 579 mil reais. De acordo com o processo para esconder a irregularidade Geraldo usava a conta e o CPF de outras pessoas. A ação exibe o anexo de uma conversa onde o genro de Geno faz a cobrança de um dos cheques.

Outro crime citado é o de extorsão . Waguinho afirma que o antigo Geno começou a exigir quantias extras para cumprir agendas de shows. Para subir no palco do evento já marcado ele pedia determinados valores em dinheiro. 

E por último o empresário faz alusão à tortura psicológica. De acordo com ele há cerca de 5 anos os integrantes conviviam com a insegurança pois nunca tinham certeza se Geno apareceria para fazer os shows. A preocupação do empresário com os fãs e com o cumprimento do contrato era constante. Em contato com o advogado Fabio Campos foi confirmado tudo que havia sido relato por Waguinho. O advogado acrescentou ainda que as pendências serão solucionadas no campo judicial.

A discussão judicial teve início quando Geno anunciou a saída da dupla e a proibição do uso da marca Gino & Geno na nova composição da dupla. O empresário alega que após o início do impasse os integrantes estão sendo prejudicados pois eles têm uma longa agenda de shows programada para o ano de 2019.

Veja também
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios