Drogaria Araújo confirma Divinópolis e Pará de Minas como próximas inaugurações da loja

Postado em 06/07/2017 10:18

Drogaria Araújo confirma Divinópolis e Pará de Minas como próximas inaugurações da loja

Modesto Araújo é o presidente da rede de drogarias

Sem limites para parar de crescer, a mineira Drogaria Araujo está abrindo lojas no interior de Minas Gerais. As próximas inaugurações serão em Pará de Minas e Divinópolis, já estão construindo em Barbacena, e, em Conselheiro Lafaiete, o espaço está sendo prospectado. “Primeiro vamos fazer a ocupação de Minas para depois sair para outros Estados”, contou o presidente Modesto Araujo.

Antes de chegar a este tamanho – 170 lojas, com previsão de chegar a 200 até o fim deste ano, e faturamento de R$ 1,9 bilhão –, Modesto começou no ofício aos 10 anos. Trabalhando no balcão, ganhava do avô e fundador Modesto um percentual de todas as vendas que fazia e dava uma “canetada” (varrida) na loja, por ordem do pai. Um dia, o adolescente Modesto reclamou dessa tarefa e recebeu a seguinte resposta do pai: “Um dia você vai entender. Para fazer uma boa gestão, tenho que conhecer tudo, até como se varre uma loja. A mensagem dele era que eu tinha que conhecer tudo”.

E como Modesto levou isso a sério. Antes de consolidar a carreira na empresa da família, Modesto trabalhou no mercado financeiro. Há 35 anos atuando na Drogaria Araujo, 25 deles na presidência, Modesto contou que, quando chegou à companhia, eram oito lojas. “Então, comecei a trabalhar, a informatizar a Araujo, e isso foi dando condições de trabalho ao pessoal. Com isso, fomos crescendo de maneira estruturada”, informou.

Para Modesto, é preciso ter equipe. “A equipe da Araujo veste a camisa, ela tem carinho com a empresa, curte as vitórias. Então, desde que tenha uma equipe competente e com amor com à empresa, ninguém segura”, elogiou, referindo-se aos 7.100 empregados.

Num mundo digital, Modesto disse que a loja física sempre vai existir. “Está muito cedo para partirmos para o digital e muito cedo para abandonar a loja física”, filosofa. Neste ano, serão mais 2.000 novas vagas.

Com 18 mil a 20 mil itens por loja, Modesto abriu um centro de distribuição em Contagem com capacidade para abastecer até 650 lojas. “Ele é totalmente automatizado. Agora, é cair para a rua e abrir loja sem o problema da logística”, comemorou.

GRANDES NÚMEROS

R$ 130 mi foram investidos no novo centro de distribuição da Araujo, em Contagem

2.000 empregos serão gerados pela Drogaria Araujo neste ano com as novas lojas

R$ 180 mi foi o valor pago pela Drogaria Araujo em 2016 referente ao ICMS em Minas

Desafio é ‘fazer mais com menos’, diz Modesto

Grande pagador de impostos, somente de ICMS, no ano passado, a Drogaria Araujo recolheu R$ 180 milhões. Crítico da alta carga tributária que o setor suporta – em medicamentos genéricos a alíquota é de 18% – o presidente da companhia, Modesto Araujo, dá a receita de como equacionar uma conta que tem, de um lado, grandes pagadores de impostos e, do outro, o consumidor: “Para resolver isso, temos que ter gestão em nível federal, estadual e municipal”. Modesto explica que, numa empresa particular, procura-se negociar contratos, diminuir despesas, abrir lojas para evitar a demissão e enxugar custos. “Em qualquer dos governos, esse enxugamento é muito relativo. A minha esperança é que nas próximas eleições possamos ter mais executivos no comando dos municípios e do próprio país e ter um exemplo igual nós tivemos como o (João) Doria em São Paulo ou o próprio Vittorio (Medioli) em Betim. Trazer executivos para que a gente comece a fazer mais com menos para ter condições de todos crescerem, acabar com esse desemprego e reduzir a carga tributária”, analisou Modesto.

POLÍTICA

Empresário defende escolha de gestor para governar Estado

Cotado por muitos companheiros da área empresarial como um nome viável, diante da experiência de gestor, para o governo de Minas, o presidente da Drogaria Araujo, Modesto Araujo, admitiu que até iria. “Vou confessar que, se eu não tivesse essa velhinha de 111 anos para cuidar, que é a Drogaria Araujo, se eu não tivesse 7.000 funcionários vezes três dependentes – e estamos falando de 21 mil pessoas dependendo do sucesso da minha empresa –, eu até iria. Mas eu me vejo impossibilitado de ir”, explicou o empresário.

Porém, Modesto disse que está à disposição para ajudar o empresário que tiver condições de gerir nosso Estado. “Porque é só assim que vamos conseguir melhorar esse Estado e esse país”, arrematou Modesto.

Questionado sobre quais conselhos daria ao futuro chefe do Executivo de Minas, o empresário disse que, “conseguindo reduzir os custos, consequentemente o governador vai conseguir reduzir os impostos e enxergar o Estado como uma empresa e ter criatividade, seriedade e honestidade”.

Um sonho. Mesmo com todo o sucesso da Drogaria Araujo, Modesto disse que sempre tem um sonho novo. “Não pode parar de sonhar. O primeiro sonho é ter saúde, com qualidade de vida, saúde para toda a família, e ter uma empresa cada vez maior e melhor. Sempre sonhar. O sonho é que joga a pessoa para a frente”.

Reportagem de Helenica Laguardia para o Jornal “O tempo”

Veja também
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Real Time Web Analytics