Vigilância em Saúde diz que casos de meningite em Divinópolis estão “dentro do esperado”

Postado em 13/09/2018 17:36

Após a informação sobre os sete casos de meningite em Divinópolis, a reportagem entrou em contato com a diretoria de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde de Divinópolis. No município, dez pessoas apresentaram sintomas da doença em 2018. Três casos foram descartados e sete confirmados, entre eles, de uma criança de dez anos internada na UTI do Hospital São João de Deus. Segundo a Superintendência Regional de Saúde (SRS), são 27 casos na região. De acordo com a diretora de Vigilância em Saúde, Janice Soares, os casos foram distribuídos ao longo dos meses, fato que já era esperado pela secretaria. “Janeiro tivemos caso, fevereiro, março, um caso por mês, quando saltou alguns meses, e agora em agosto tivemos três casos. Isso já é esperado do período epidemiológico”, acrescentou.

Ainda segundo a diretora, por se tratar de uma doença endêmica, são esperados alguns casos durante o ano. Não foi informada qual das manifestações foram registradas nos casos em Divinópolis. No entanto, conforme a Vigilância em Saúde, os casos registrados estão dentro do “padrão epidemiológico”. Foram três casos de meningite bacteriana e os outros quatro não especificados. “A Meningite pode ter uma origem viral. Posso dizer que são casos já esperados e que estão dentro do padrão epidemiológico. Não é motivo para alarmar, a gente sabe que no período de inverno é o período em que ela ocorre com mais incidência, tanto é que em agosto tivemos três casos. Temos outros casos que foram notificados, mas foram descartados”, explicou Janice. 

Janice considera que a cobertura vacinal é deficiente e por isso, a vacinação é uma das opções na prevenção a doença. No entanto, em casos virais, a atenção aos sintomas e a busca pelo atendimento correto são fundamentais. “A gente sabe que temos uma cobertura deficiente, precisamos do apoio de toda a sociedade para melhorar a nossa cobertura vacinal. Intensificar a vacinação, a conscientização das pessoas. É  intensificar a vacinação, ela é sempre a melhor solução. Quando a gente tem a vacina, a gente tem uma cobertura ideal, que é 95% da população. Nos casos virais, não tem como a gente ficar evitando. É ficar atento e procurar o serviço de saúde o mais rápido possível para receber o atendimento correto”.

Em 2017, a Semusa aplicou 8.230 doses de vacinação de Meningo C, sendo 2.306 em crianças menores de 1 ano, totalizando 84,19%; 2.204 em crianças de 1 ano a 4 anos 11 meses e 29 dias sendo 80,47%; 2.189 em adolescentes de 12 anos com 63,95% e 1.531 nos adolescentes de 13 anos com 44,13% de cobertura.

Divinópolis já tem 7 casos de meningite confirmados

Veja também
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Real Time Web Analytics