Publicidade

Emenda para HSJD foi condicionada a acordo com entidade ligada a deputado, afirma Domingos Sávio; político cobra explicações de Léo Motta

Postado em 25/08/2021 21:38

 

 

Advertisement

 

O Deputado Federal Domingos Sávio (PSDB) cobrou explicações do colega Léo Motta (PSL), no plenário da Câmara Federal, nesta quarta-feira, 25, sobre o caso das vans do Hospital do São João de Deus que foram encontradas abandonadas em um imóvel no município de Contagem.

Segundo Domingos, a direção do hospital afirmou que recebeu informações da direção do Complexo de Saúde São João de Deus que o deputado federal Léo Motta condicionou suas emendas, cerca de R$ 5 milhões, à compra das vans para a Associação dos Diabéticos de Contagem: “Fui questionar a direção do hospital e a resposta foi ‘fomos até Brasília buscar recursos e o deputado nos fez uma proposta… ele destinava a emenda e a gente destina parte do recurso à entidade de Contagem'”. O parlamentar ainda disse que Léo Motta deveria dar explicações em vez de fazer vídeos para ofender políticos. Veja o vídeo:

 

 

Relembre o caso: 

Na semana passada, três vans equipadas com equipamentos odontológicos, que pertenceriam ao Complexo de Saúde São João de Deus (CSSJD) e que foram flagradas em um galpão em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. A informação foi publicada pela rádio 98 FM Live, da capital mineira.

Os veículos teriam sido comprados para a Associação dos Diabéticos de Contagem, que tem ligações com o Deputado Federal Léo Mota, que também é o dono do imóvel onde estavam os veículos. A associação já teve o parlamentar como tesoureiro e, na documentação ele aparece como interlocutor da entidade na contratação de funcionários.

A reportagem da Rádio 98 FM ouviu o Deputado Léo Mota que disse que a diretoria do hospital o procurou, em Brasília, em busca de entidades que pudessem fazer uma parceria para fornecer o serviço de mutirão odontológico e cirurgias crânio-faciais o que seria feito através das vans adquiridas pelo próprio hospital. O fato chegou a ser questionado por vereadores de Divinópolis. Após a denúncia, o Hospital recolheu os veículos em Contagem e os mesmos agora se encontram no estacionamento do complexo de saúde São João de Deus.

HSJD comprou carros para entidade ligada a Léo Mota e depois recebeu emendas do deputado

Endereço de bar:

Nesta terça-feira (24), o presidente da Câmara Municipal de Divinópolis, Vereador Eduardo Print (PSDB), compareceu aos dois endereços que, em tese, pertencem à associação, e deparou com cenários diferentes. No bairro Eldorado, em Contagem, no endereço que consta no CNPJ da entidade, funciona a Associação Cristã Beneficente Eldorado, de portas fechadas e sem nenhum representante. Ainda no município, desta vez no bairro Riacho das Pedras, o endereço divulgado pelo deputado Leo Motta (PSL) em entrevista, pertence a um bar. 

“Tudo fica ainda mais estranho quando tentamos fazer pelo rito comum. Notificamos por email ontem, no endereço que consta a inscrição do CNPJ e, hoje, fui pessoalmente notificar o presidente da associação nos dois endereços. No segundo, na rua Rio Verde, no Bairro Riacho das Pedras, populares que estavam no bar alegaram que a associação funcionava no estabelecimento da esquina, que também se encontrava fechado e sem nenhuma sinalização. Inclusive, um comerciante da área me confidenciou que o imóvel está disponível para aluguel”, disse Eduardo Print. 

Após o tucano deixar o local, Leo Motta, usando um carro de som, fez uma transmissão ao vivo. “Aqui funciona uma associação há muitos anos e todos sabem com milhares de atendimento a essa comunidade e a comunidade da região, inclusive com atendimento odontológico”, afirmou.

Citando o vereador, disse que o projeto, privado, estava fechado. “Fez filmagem fajuta, mal intencionada, está tentando fazer sensacionalismo com as pessoas. O projeto estava fechado mesmo, o projeto não tem recurso público, a associação está funcionando com doações”, afirmou.

Motta tratou o caso como perseguição política: “Foi só começar a fiscalizar prefeitos que desviaram dinheiro público”. Ele também cobrou retratação. “Retratem-se ou vou processar cada um”, enfatizou.

Em fiscalização, vereador Eduardo Print descobre que entidade parceira do Hospital São João de Deus é um bar

Comente! *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Publicidade
Veja também
Publicidade
Publicidade
Publicidade
plataforma ead
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade