Divinópolis registra alto risco de dengue em 2018

Postado em 09/01/2018 17:25

O primeiro Levantamento do Índice Rápido de Infestação do Aedes aegypti, o LIRAA, mostrou um índice de 6,5%. O trabalho foi realizado pela Secretaria Municipal de Saúde entre os dias 2 e 6 de janeiro deste ano.

Se antes a população sentia saudades da chuva, agora não há o que reclamar. Segundo o INMET – o Instituto Nacional de Meteorologia, somente nos primeiros nove dias do ano, já foram contabilizados 151 milímetros de chuva, ou seja, mais da metade do que era previsto para todo o mês de janeiro. Os números são positivos, mas as consequências nem tanto.

A situação é favorável para a proliferação do Aedes aegypti, o indesejado mosquito transmissor da dengue, Chikungunya e Zica Vírus. E foi exatamente isso que apontou o LIRAA, o Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti, realizado em Divinópolis entre os dias 2 e 6 de janeiro deste ano. O índice foi de 6,5%, o maior número registrado na cidade até o momento.  

No total, 4.898 imóveis foram visitados. A região nordeste foi a que apresentou os piores números, com quase 14%. Em seguida vem a região norte, que registrou 7,83%. A central ficou em terceiro lugar com 6,15%. O sudeste com 5,34%, o oeste com 4,4% e o sudoeste foi o único local que registrou abaixo do parâmetro de alto risco de epidemia, com 2,72%.

Não é preciso andar muito em Divinópolis para encontrar recipientes suscetíveis a terem focos do Aedes aegypti. Na Praça do Santuário, por exemplo, pode-se encontrar vários recipientes para cães de rua beberem água, mas ao mesmo tempo eles servem como ninho para proliferação do mosquito transmissor da dengue.

No ano passado, a Secretaria Municipal de Saúde registrou 200 notificações de casos de dengue, destas 66 já foram confirmadas, 106 descartadas e 25 aguardam o resultado. Em 2018 ainda não houve nenhum registro, no entanto, devido ao alto risco de epidemia, algumas ações serão implantadas.

Noventa e quatro por cento dos focos foram encontrados em residências, logo, mesmo com o trabalho dos agentes, a população deve fazer a sua parte.

O telefone do disque-dengue para tirar dúvidas e fazer denúncias é o (37)3221-3722.

 

Veja também
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com