Suspeita de mortes por bactéria suspende máquinas de hemodiálise, familiares de pacientes estão preocupados

Postado em 24/09/2019 9:02

Familiares de pacientes do setor de nefrologia do Hospital São João de Deus (HSJD) em Divinópolis, estão preocupados com as irregularidades encontradas no setor após a Vigilância Sanitária fiscalizar o local na última sexta-feira (20). Uma nova vistoria será feita nesta terça-feira (24) segundo informações da assessoria da Prefeitura de Divinópolis.

O HSJD é referência para municípios do Centro-Oeste e único na cidade a atender pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Vans saem das cidades da região com destino a Divinópolis para que os pacientes possam fazer o tratamento adequado.

O paciente que faz a hemodiálise tem o seu sangue passado para a máquina por um acesso vascular, que pode ser um cateter (tubo) no pescoço ou uma fístula arteriovenosa no braço, e depois esse sangue é impulsionado por uma bomba até o filtro de diálise (dialisador). No dialisador o sangue é exposto à solução de diálise (dialisato) por meio de uma membrana semipermeável que retira o líquido e as toxinas em excesso e devolve o sangue limpo para o paciente pelo acesso vascular. Alguns pacientes ficam na máquina por 4 horas direto.

A fiscalização por parte da Vigilância Sanitária ocorreu após denúncias de duas mortes e aproximadamente seis internações por suspeita de pirogenia – reação desencadeada pela presença, na corrente sanguínea, de soluções contaminadas. Em primeira vistoria, foram constatadas internações em decorrência de possível contaminação por bactérias.

Assessoria da Prefeitura:

Em contato com a assessoria da Prefeitura de Divinópolis, para saber quais são essas irregularidades, esta informou que a Vigilância Sanitária vai se posicionar somente após essa vistoria dessa terça-feira. Porém, a assessoria confirmou que algumas máquinas foram suspensas. 

Sobre suspensão de máquinas:

Agentes de Saúde determinaram, preventivamente, a suspensão do uso de algumas máquinas, sugerindo, como alternativa ao grande número de pacientes que dependem do serviço, a implementação imediata de um quarto turno de trabalho. Atualmente, são atendidas cerca de 40 pessoas em cada um dos três turnos.

De acordo com os fiscais, foi determinado que, em caso de qualquer suspeita , o hospital adote os protocolos necessários, que preveem um rígido acompanhamento das ações. “O trabalho de fiscalização pelo município se dará de forma contínua, inclusive em relação às melhorias solicitadas durante as vistorias de rotina”.

HOSPITAL NEGA MORTES POR BACTÉRIAS:

Em contato com a assessoria do Hospital, esta informou que os atendimentos seguem na Unidade. Ainda segundo nota a Vigilância Sanitária esteve na Unidade na sexta (20), mas que alguns pacientes encontram-se internados na instituição devido as complicações de sua Terapia Renal Substitutiva- Hemodiálise; e que as internações são frequentes nestes pacientes e nenhum óbito pode ser atribuído à bactéria. Veja nota:

 

 

FAMILIARES DOS PACIENTES:

A redação do Sistema MPA de Comunicação recebeu alguns questionamentos de familiares, os quais estão preocupados. Alguns pacientes fazem o tratamento há seis anos na Unidade. Outros tem mais de 10 anos e necessitam do procedimento, tratamento este, que se não for seguido corretamente, pode levar o paciente a morte.

 

Foto: Reprodução

 

Veja também
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: Este conteúdo é protegido!