Diante do surto de febre amarela em regiões de MG, saiba como está a situação em Divinópolis

Postado em 20/01/2017 12:34

febre amarela

Foto: Divulgação/Ilustrativa

Por Carla Mariela

No dia 13 de janeiro foi decretado e publicado no Diário Oficial do Estado de Minas Gerais, a situação de emergência em decorrência do surto de febre amarela em Coronel Fabriciano, Governador Valadares, Manhumirim e Teófilo Otoni. No caso do município de Divinópolis, a reportagem do Sistema MPA de Comunicação, entrou em contato na manhã desta sexta-feira (20), com a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), para saber como está a situação da febre amarela na cidade.

De acordo com a enfermeira da Semusa, Mary Alves Santana Vieira, a febre amarela é uma doença hemorrágica, além de ser uma doença endêmica na região de Minas. Segundo ela, apesar de algumas regiões do Estado apresentarem o surto desta doença, felizmente em Divinópolis não há registro de casos suspeitos. Considerando que Divinópolis não está com o surto de febre amarela, o trabalho que está sendo desenvolvido pela Secretaria conforme Mary Alves, é a atualização dos cartões de vacina das pessoas que não tem as duas doses completas. “Quem já tem duas doses no cartão atualizadas, não precisa tomar novamente a vacina, porque esta pessoa já estará imunizada. Esta vacina é de vírus vivos e é passível de reação adversa. Dessa forma, não justifica a pessoa já está com o cartão de vacina completo e tomar a vacina novamente correndo o risco de uma reação adversa”, afirmou.

Quando questionada se mesmo antes de completar 10 anos da primeira dose da vacina, a pessoa pode tomar a segunda dose, Mary Alves, explicou que a Secretaria só antecipa a segunda dose em um momento de surto o que não é o caso de Divinópolis. “Não tem a necessidade no momento de antecipação de dose, somente casos de que pessoas porventura vão viajar para regiões de surto da doença”, disse.

Em relação a faixa etária, a enfermeira informou que a vacina contra a febre amarela a princípio é voltada para criança acima de 9 meses com reforço da vacina aos 4 anos.

Para quem perdeu o cartão de vacinação deve procurá-lo com mais atenção, uma vez que Mary abordou que a campanha de vacinação contra a febre amarela já foi realizada nos anos de 1999 e 2001. “Talvez a pessoa já está com o cartão em dia, mas fica com dúvida se pode tomar a vacina mesmo que não tenha o cartão de vacinação. Quando é apresentado o cartão fica mais fácil da equipe de saúde saber se a pessoa já tomou a vacina em anos anteriores. As vezes, a pessoa já pode até ter tomado a vacina e com a falta do cartão, esta pessoa não lembra se tomou”, frisou.

Em relação as doses, a enfermeira explicou que normalmente a Unidade de Saúde gasta 2.000 doses/mês e no primeiro dia que as pessoas ficaram sabendo do surto da doença nas regiões do Estado, estas 2.000 doses acabaram. “O que normalmente gastamos em 30 dias; com a ida das pessoas nos postos com medo do surto, as doses acabaram somente em um dia. A medida que o posto vai precisando é realizada a reposição das vacinas”, acrescentou.

A enfermeira encerrou a entrevista fazendo um alerta para a população. Segundo ela, o próprio mosquito aedes aegypti que transmite a dengue, a Chikungunya e o Zica Vírus, é o mesmo mosquito que transmite a febre amarela. E segundo levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), o índice do foco de dengue em residências de Divinópolis está alto. “A população deve ficar atenta aos focos e fazer a limpeza necessária, pois o índice dos focos da dengue na cidade é elevado”, concluiu.

 Ouça entrevista completa com a enfermeira Mary Alves Santana Vieira:

Sintomas de Febre amarela:

Muitas pessoas que contraem a febre amarela não apresentam sintomas, e quando os apresentam, os mais comuns são: febre, dores musculares em todo o corpo, dor de cabeça, náuseas, olhos avermelhados, fadiga, dentre outros. Uma pequena porcentagem de pessoas pode desenvolver sintomas mais graves cerca de 24 horas após a recuperação dos sintomas mais simples. Nesta fase chamada de tóxica, o vírus pode atingir diversos órgãos e sistemas, mas principalmente o fígado e rins. Os sintomas dessa fase são: retorno da febre alta, dores abdominais, sangramento na boca, urina escura. Em casos mais graves o paciente pode apresentar delírios, convulsões e até entrar em coma.

Dependendo do dano causado no organismo, esta fase da febre amarela pode levar a morte no intervalo entre sete e dez dias. Por isso, pessoas que são diagnosticadas com febre amarela devem estar atentas ao aparecimento dos sintomas iniciais.

Sobre Tratamento:

Não existe medicamento para combater o vírus da febre amarela. O tratamento é apenas sintomático e requer cuidados na assistência ao paciente que, sob hospitalização, deve permanecer em repouso com reposição de líquidos e das perdas sanguíneas, quando indicado.

Semusa:
A Secretaria Municipal de Saúde de Divinópolis (Semusa) fica localizada na Rua Minas Gerais, número 900, no centro de Divinópolis. O telefone para contato é (037) 3229 6800.

Veja também
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com