Publicidade

Covid-19: Prefeitura de Divinópolis pode ser multada em até R$100 mil caso descumpra medidas de proteção aos servidores

Postado em 29/07/2021 19:22

Idoso de 81 anos morre por complicações da Covid 19 em Divinópolis

Foto Assessoria Prefeitura Divinópolis

 

Em audiência de conciliação na Justiça do Trabalho, na última terça-feira (27), foi homologado um acordo entre o Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Divinópolis e Região Centro-Oeste (Sintram) e a prefeitura de Divinópolis, para maior proteção dos servidores municipais contra a covid-19.  

Para a homologação do acordo, a Prefeitura se comprometeu a fornecer álcool em gel em todas as repartições com atendimento ao público, além de realizar a testagem de todos os servidores municipais. Foi definido que os servidores que estão à frente no combate à pandemia deverão ser testados quinzenalmente e os demais servidores mensalmente, além do fornecimento dos equipamentos de proteção individual adequados.

Advertisement

A Justiça também determinou que a Prefeitura deverá atualizar o Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO), adotando medidas necessárias e eficazes para proteger e preservar a saúde dos servidores municipais em relação aos riscos ocupacionais decorrentes da covid-19. O município deverá implementar protocolos de vigilância epidemiológica, visando a identificação de casos de covid-19 entre os servidores e, em testes positivos, deverão ser feitos rastreamento e diagnóstico precoce.

Os servidores que apresentarem sintomas gripais ou com suspeita de contaminação deverão ser afastados imediatamente, seguindo-se o rastreamento dos contatos no trabalho. Os demais servidores que mantiverem contato com colegas que tenham apresentado sintomas, também deverão ser afastados, mesmo que apresentem quadro assintomático e independente do teste de confirmação e apresentação de atestado médico.

A Prefeitura também está obrigada a disponibilizar máscaras limpas para todos os servidores, que cubram o queixo, a boca e o nariz. Nas unidades e saúde deverão ser adotados protocolos como triagem de pacientes, fluxo de pessoas, fornecimento de equipamentos de proteção e adequação do espaço físico para garantir o distanciamento.

 

Multas

Caso o município deixe de cumprir as medidas definidas no acordo, foram fixados três valores de multa, sendo R$ 2,5 mil por constatação e cumulativamente por cada trabalhador prejudicado. Multa no limite de R$ 100 mil por descumprimento de cada um dos itens do acordo. Também foi pactuada multa de R$ 30 mil para cada irregularidade constatada que não permita a identificação dos servidores atingidos.

De acordo com a decisão, a Prefeitura terá 30 dias para cumprir o acordo, com exceção quanto às exigências do programa de saúde ocupacional e riscos ambientais, cujo prazo foi fixado em seis meses. 

 

Processo

No final de junho desse ano, o Sintram decidiu acionar a Justiça diante da comprovada omissão do prefeito Gleidson Azevedo (PSC) em garantir a segurança e proteção contra a covid-19 dos servidores municipais. Com apoio do Ministério Público do Trabalho, o sindicato impetrou Ação Civil Pública na 2ª Vara do Trabalho, exigindo o fornecimento de Equipamentos e Proteção Individual (EPI) a todos os servidores, além de medidas eficazes para combater o contágio pela covid-19.

Ao analisar a decisão da Justiça, o vice-presidente do Sintram, Wellington Silva, afirmou que é uma grande vitória do sindicato na incessante luta pela saúde dos servidores municipais de Divinópolis. “Conquistamos uma vitória muito importante, pois agora é decisão judicial e tem que ser cumprida. Estamos aliviados, pois a decisão expande e garante as medidas de segurança para que nossos servidores possam trabalhar com tranquilidade. O nosso trabalho para garantir a saúde dos servidores vem desde o ano passado e não é uma luta fácil, mas  para atitudes irresponsáveis, que colocam em risco a saúde do trabalhador e da própria população,  existe a Justiça e foi o caminho que buscamos. Uma vitória do sindicato, uma vitória de todos os servidores. É assim que analisamos essa decisão. Os servidores que se sentirem prejudicados sob qualquer aspecto, pode consultar o nosso departamento jurídico, pois agora há uma multa fixada caso o prefeito continue omisso como se mostrou até agora”, disse o presidente em exercício.

Comente! *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Publicidade
Veja também
Publicidade
Publicidade
Publicidade
plataforma ead
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
error: Este conteúdo é protegido!