Publicidade

Copasa responde aos questionamentos do deputado estadual Cleitinho Azevedo

Postado em 01/11/2020 15:01

O deputado estadual Cleitinho Azevedo emitiu uma nota descrevendo situações em relação a Copasa em Divinópolis, em contato com a assessoria de imprensa da companhia ela respondeu pontualmente cada item descrito pelo parlamentar.
 
Na nota o deputado diz que “é possível visualizar um amontado de material, tal como areia, material filtrante e antracito bem como os motores escondidos por uma lona. Tais materiais estão no tempo, se deteriorando há mais de um ano”. A Copasa informa que “as obras em andamento na Estação de Tratamento de Água (ETA) de Divinópolis, tem como objetivo ampliar e fornecer melhorias para a unidade e, consequentemente, para o abastecimento em todo o município. No escopo das obras está a substituição dos conjuntos motobomba da Estação Elevatória de Água Tratada, sendo três conjuntos ao todo, um já tendo sido instalado. A medida em que as obras na ETA permitirem a ampliação da capacidade de tratamento da água, os outros dois conjuntos serão igualmente implantados e, então, contribuirão para o aumento da capacidade do sistema de abastecimento do município”. A Companhia ressalta que a utilização da lona para cobrir os equipamentos guardados no pátio da unidade, tem como objetivo protegê-los da exposição ao tempo. 

 

Segundo o deputado “cada filtro tem uma capacidade de tratamento de água de 10 milhões de litros ao dia, ou seja, um total de 20 milhões de litros de água tratada por dia e que com esse aumento na produção é impossível que falta água na cidade. Enquanto isso a população vem constantemente sofrendo com a falta de água”.  A Copasa responde ser “outra intervenção prevista no escopo da obra é a melhoria dos oito filtros da ETA. Apesar do ganho em eficiência no tratamento da água, a melhoria não representa o aumento de vazão no sistema. Até o momento, dois filtros já foram submetidos às melhorias. Nos próximos dias, outros dois filtros serão submetidos ao mesmo processo. Em sequência, está prevista a execução de melhorias nos outros quatro filtros”.

Cleitinho Azevedo diz que “no alto da Avenida Paraná existe um reservatório que apresentou defeito e está vazio há mais de 8 anos, com capacidade aproximada de 6 milhões de litros de água. Ou seja, há mais de 8 anos o problema aconteceu e os responsáveis pela administração da empresa em Divinópolis ainda não tomaram providencias para solucioná-lo. Existe um outro reservatório, mas com capacidade de 4 milhões. Sendo assim, se o reservatório maior estivesse em condições de estocar água, seria mais uma solução para o problema de falta de água na cidade”. A Companhia esclarece que “o reservatório localizado no alto da Avenida Paraná foi retirado de operação por questões de segurança, uma vez que a unidade permaneceu em operação por mais de 50 anos e já não possuía condições de operação, em função do elevado índice de perda de água por vazamentos em sua estrutura. Este reservatório não tem relação com os problemas pontuais de intermitência que ocorreram na última semana do mês de setembro”. 

Por fim, a Copasa ressalta, ainda, que um novo reservatório metálico, com capacidade para armazenar 4.000m³ de água, já foi projetado e que a instalação do mesmo passará por processo licitatório. A previsão é de que o equipamento seja instalado ainda no primeiro semestre de 2021.

Comente! *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Publicidade
Veja também
Publicidade

Noticias relevantes:

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
error: Este conteúdo é protegido!