Publicidade

ARSAE conclui e expõe relatório sobre a COPASA

Postado em 28/05/2019 7:47

Um mês após a visita dos fiscais da Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário do Estado de Minas Gerais (ARSAE-MG) em Divinópolis, uma reunião na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte, foi realizada para expor os resultados dos relatórios feitos pelo órgão sobre as obras iniciadas pela COPASA no município.
 
Na ocasião, representantes da Prefeitura de Divinópolis, Câmara Municipal (vereadores Eduardo Print Júnior (SD) e Sargento Elton (PATRIOTA)) e COPASA se reuniram com a ARSAE para debaterem os resultados.
Em abril, uma comissão, encabeçada por Henrique Barcelos, Gerente de Fiscalização Operacional, visitou diversos bairros de Divinópolis, como Quintino, Casa Nova, Candelária, Bom Pastor e Santa Lúcia, para avaliar obras nas ruas e problemas relacionados ao abastecimento de água, especialmente nas regiões mais altas da cidade, problema recorrente nos últimos anos e que gerou diversos manifestos por parte dos moradores. 
O Vereador Eduardo Print Júnior, um dos que mais cobraram respostas da COPASA por conta das obras espalhadas pela cidade, esteve na reunião e disse que a expectativa é de que as coisas voltem a andar. “Fomos nas esferas superiores. Quem pode fiscalizar a COPASA e cobrar mais do que nós vereadores é a ARSAE.
 
Eles puderam compreender o tamanho do problema causado pela COPASA em Divinópolis. Na rua Pitangui, por exemplo, vários e vários comerciantes fecharam suas portas, perderam seu sustento, por conta de uma obra que ficou meses paralisada, impossibilitando o fluxo de pessoas ali. Era uma das ruas mais movimentadas da cidade, com bares, ciclovias, calçadão para caminhada, e por meses ficou fechada por incompetência da COPASA”, dispara o vereador. 
ETE’s e ruas
A ARSAE vistoriou aproximadamente 50 casos em Divinópolis, como construção de ETE’s, abastecimento de água nos bairros e ruas esburacadas decorrentes de obras abertas pela COPASA. Na apresentação do relatório, foram apontadas quais obras são especificamente da COPASA e quais são do município, e estabeleceu prazos para que as mesmas sejam concluídas. Houve um acordo, assinado pelas partes, para que esses prazos sejam cumpridos à risca, como a conclusão das ETE’s Nova Fortaleza, Costa Azul e Terra Azul (2020), onde são necessárias implantações de interceptores, e ETE Pará (2024), que necessita de melhoria na eficiência da estação.
Pontos muito importantes foram determinados: a conclusão das obras das ruas Mar e Terra (Candelária), Pitangui (Bom Pastor) e Antônio Neto (Danilo Passos). O município exige o recapeamento completo dessas vias por parte da COPASA. A companhia tem até 30 dias para responder se irá ou não se comprometer a realizar essas obras integralmente, uma vez que já se compromissou a fazer a operação tapa-buracos.

Comente! *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Publicidade
Veja também
Publicidade

Noticias relevantes:

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
error: Este conteúdo é protegido!