Publicidade

Vivendo a fase “coringa” e “garçom”.

Postado em 12/10/2021 13:59

Na primeira partida de Jair com Cuca no comando do Atlético, ainda no Campeonato Mineiro, a posição foi mais defensiva, e a atuação, discreta. Com o tempo, o camisa 8 se readequou ao novo sistema e virou peça importante no ataque. Contra o Ceará, participou diretamente de dois dos três gols.

Em entrevista, o volante do líder do Brasileirão destacou que ganhou mais liberdade ofensiva nas mãos de Cuca. Hoje, faz a função de segundo volante, ao lado de Allan. Na última rodada, deu passe para o primeiro gol de Hulk e sofreu o pênalti convertido pelo artilheiro dos pontos corridos.

Advertisement

“São propostas diferentes. Eu evolui muito com o Sampaoli. E tenho evoluído muito com o Cuca. Procuro aprender sempre. O Sampaoli era um treinador que gostava mais de jogo posicional. Jogava várias vezes de primeiro volante. Chegava pouco ao ataque. Com o Cuca vem sendo diferente, eu tenho mais liberdade de jogar na frente”.

“Isso tem me ajudado muito com o meu estilo de jogo. Então, são propostas diferentes. modelos diferentes, mas estamos nos dando muito bem com o Cuca. Vem ajudando a todos e temos grandes chances de colher frutos lá na frente”.

A assistência no Brasileiro, para Hulk arrancar e estufar as redes do Ceará, gerou reclamação do adversário. O técnico do Ceará, Tiago Nunes, foi expulso após reclamar da arbitragem. Jair admitiu que fez falta antes do passe para Hulk, mas que houve vantagem desperdiçada pelo clube adversário. Sem ver, mas já sabendo que o camisa 7 estava livre, o volante esticou a bola na medida para o artilheiro.

“Eu achei que foi falta sim, mas foi algo que comentei no campo. O zagueiro do Ceará estava com a posse de bola. Acredito que o lance anterior foi falta, mas o juiz deu prosseguimento (vantagem). Ai, erraram o passe e a falta não interferiu. Aquele lance, quando o zagueiro saiu com a bola dominada, vi que o Hulk correu nas costas dele e quando o zagueiro errou, eu dominei e dei o passe sem ver, porque sabia que ele estava sozinho. Nosso ataque é muito rápido. A gente também procura sair em transição”.

“Cheguei pro Hulk antes do jogo e falei que ele iria fazer gol, e eu ia ajudar. Até brinquei com ele, pedindo moral para mim, porque dei assistência, dei pênalti”.

Além da partida contra o Ceará, Jair já havia aparecido na construção ofensiva com efetividade diante do Palmeiras, jogo de volta da semifinal da Libertadores. O Galo foi eliminado após empate de 1 a 1. O gol alvinegro saiu dos pés do volante, em cruzamento para Eduardo Vargas.

A Libertadores, entretanto, ficou no passado. Uma noite sem dormir, é verdade. Mas o foco está reforçado para buscar o título do Brasileiro. O Galo também é semifinalista na Copa do Brasil. É o discurso usado por Cuca no vestiário. Há chances concretas de o Atlético levar dois grandes troféus em 2021.

“O Brasileiro é traiçoeiro. Temos que respeitar os times que estão brigando pelo título”.

“Foi eliminação difícil (Libertadores). Eu fiquei sem dormir na noite, pensando no jogo. A Libertadores, mata-mata, foi decidido no detalhe. Sabíamos disso e acabamos vacilando. Mas tinha que virar a chave. O Cuca tocou na tecla que temos muitas chances de ser campeões do Brasileiro, Copa do Brasil e tínhamos que virar a chave rápido. Todos tem comprado a ideia e sabemos da importância dos campeonatos dentro do clube”.

FUTEBOL MINAS FM

Comente! *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Publicidade
Veja também
Publicidade
Publicidade
Publicidade
plataforma ead
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade