Vice-presidente do Guarani elogia Ricardo Leão e mantém mistério sobre novo treinador

Postado em 14/03/2016 17:50

Após o anúncio da demissão de Ricardo Leão do comando técnico do Guarani, a diretoria do Bugre já trabalha para buscar um novo treinador. As atividades desta segunda-feira (14), foram comandadas pelo técnico Marco Túlio e o preparador físico Eduardo Diniz. Os jogadores não falaram com a imprensa. Ricardo Leão esteve no Estádio Waldemar Teixeira de Faria (Farião) no período da manhã, para acertar detalhes sobre a saída do clube e a tarde, se despediu dos atletas. Em entrevista ao repórter Luciano Eurides, do Sistema MPA, o vice-presidente de futebol do Guarani, Vinícius Morais avaliou como positiva a passagem de Ricardo Leão em Divinópolis e deixou as portas abertas ao jovem treinador. “Acho que foi um trabalho bem feito. Ricardo é um profissional exemplar. Poucas vezes vi um treinador com o conhecimento de futebol que o Ricardo tem. Infelizmente as vezes a coisa no futebol não acontece, futebol não tem uma certa lógica. Nós identificamos que uma troca no comando, um gás novo, alguém que esteja fora disso e possa enxergar com olhos diferentes o que está acontecendo possa ser benéfico para a equipe”, disse.

O vice-presidente do Bugre confirmou que a diretoria estuda alguns nomes, mas não revelou quais seriam os treinadores procurados. A ideia é fechar com o novo técnico até a noite desta segunda-feira (14) e apresentá-lo nesta terça-feira (15), para comandar a preparação para o jogo contra o Boa Esporte no sábado (19) às 16h, no Farião. “Como sempre fizemos com atletas e treinadores, assim que estiver tudo ok, vamos anunciar o nome. O trabalho continua em prol do jogo de sábado, todos tem essa consciência e quem for chegar vai acrescentar para que a gente possa sair vitorioso”.

Ainda de acordo com Vinícius, já estão mobilizados sobre a importância do Guarani na elite mineira para a cidade e para os torcedores. “Foi feita uma breve conversa com eles sobre a situação, o desligamento do Ricardo. Ficou claro e colocado que a responsabilidade não era só do Ricardo. É nossa da diretoria, do Ricardo chefiando a comissão e passa pelos jogadores. Essa atitude não pode ser só de fora, com a troca do comando. Tem que vir de dentro também, para que possamos conseguir os pontos necessários para garantir a permanência”, completou.

O vice-presidente ainda deixou as portas abertas para Ricardo Leão no futuro e disse que a diretoria acreditava que com o treinador, a equipe teria um calendário cheio em 2016. “O projeto que a gente tinha com o Ricardo era de um 2016 completo com Série D ou Taça Minas Gerais. A gente enxergava no Ricardo esse perfil desse treinador que ia trazer esse ganho para os nossos atletas, para aqueles que temos um contrato mais longo, com a disputa de uma competição no segundo semestre. Seria um enorme prazer trabalhar com o Ricardo novamente”, encerra.

O grupo de jogadores foi dividido em dois, sendo o primeiro composto por atletas que não participaram da derrota para o Tombense, que fizeram um treino mais pesado. Quem jogou fez regenerativo. Jonathan Oliveira, Cordeiro e Jean Pablo treinaram. Carlos Renato depende da avaliação final da fisioterapia para ser liberado aos treinos. Renan suspenso cede vaga que será disputada por quatro jogadores: Luis Gustavo, Gil, Gustavo e Denílson.

Ouça a entrevista completa

 

(Foto: Douglas Magno/O TEMPO)

(Foto: Douglas Magno/O TEMPO)

Veja também
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com