Publicidade

Rafael ou Éverson no gol do Atlético? Cuca ainda não se decidiu.

Postado em 17/03/2021 11:35

Cuca iniciou efetivamente o trabalho no Atlético na manhã dessa terça-feira, quando foi apresentado ao elenco na Cidade do Galo. Um dos auxiliares e o preparador físico da comissão do novo comandante já estavam no clube há uma semana, trabalhando com o elenco e, claro, fazendo diagnósticos em relação ao grupo e ao time.

Tanto o elenco, quanto o estilo de jogo, ainda contam com influência grande de Jorge Sampaoli, que tem uma filosofia de trabalho muito particular e deixou o clube há pouco mais de duas semanas. O novo treinador, inclusive, nem tem a intenção de se desfazer de tudo que foi montado pelo antigo comandante.

Advertisement

“Entro no lugar do Sampaoli e com muita expectativa. Ele deixa uma espinha dorsal muito forte, uma consistência de trabalho muito forte, que a gente vai aproveitar, sem dúvida nenhuma”.

Cuca cita que os adversários têm dificuldade de enfrentar os times de Sampaoli em função das mudanças que ele faz na estrutura do time entre duas partidas. Fato que o técnico também quer fazer e o qual ele acha que é potencializado pelas peças disponíveis no atual elenco.

“Cada um tem uma maneira de jogar. Gosto muito da maneira como ele atua. Um treinador que você tem dificuldade de jogar contra, porque ele varia muito de um jogo para outro, e eu também gosto de ter diversos estilos. Vem de encontro ao que temos aqui no Galo. Vai dar para usar bastante a parte tática”.

Uma das características muito próprias do treinador argentino é a utilização do jogo com os pés por parte dos goleiros. Foi por isso, inclusive, que o Atlético contratou Éverson, criticado pela torcida em boa parte do Brasileiro de 2020. O reserva é Rafael. Matheus Mendes é a terceira opção para a meta, depois de destaque no empréstimo ao CSA.

Questionado sobre o assunto, Cuca fez questão de dizer que valoriza também a construção de jogo por parte dos arqueiros, mas cita que os dois principais concorrentes à vaga vão bem nesse fundamento. A titularidade é deixada em aberto, ao menos por enquanto.

“Tem importância, sim, saber jogar com os pés, começar a construção do jogo, principalmente quando você propõe, quando você toma iniciativa da partida. Então, tem importância, sim”.

“O Éverson sabe jogar com os pés, o Rafael também sabe, e nós vamos trabalhar cada vez mais para que eles possam ser cada vez mais o ator que inicia as jogadas”.

Neste início de temporada, Victor foi titular na estreia para se despedir da carreira de jogador de futebol e assumir a gerência do Galo. Nos três jogos seguintes, Rafael foi o dono da meta, mas porque Éverson – assim como os demais titulares – receberam um recesso após o fim da Série A. Na apresentação, Cuca deu a entender que os principais jogadores já estarão disponíveis para o compromisso de sexta, contra o Coimbra, pela 5ª rodada do Mineiro.

Comente! *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Publicidade
Veja também
Publicidade
Publicidade
Publicidade
plataforma ead
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
error: Este conteúdo é protegido!