Publicidade

Há exatos 30 dias da estreia na Série B, Cruzeiro vive seu melhor momento.

Postado em 28/04/2021 11:48

O Cruzeiro divide o foco. Um olho está no América, na semifinal do Mineiro. O outro, já pensa na Série B do Campeonato Brasileiro. É claro que o Estadual desperta interesse, mas nada é mais importante no clube do que a disputa nacional. O primeiro passo em direção à elite será diante do Confiança, fora de casa, no dia 28 ou 29 de maio (ainda com definição pendente).

Diferentemente do que ocorreu nesses primeiros meses de temporada, o Sprint final até o início da Série B não será com uma maratona de jogos. Ainda que elimine o América na semifinal do Mineiro, os jogos da decisão (contra Tombense ou Atlético) serão apenas nos finais de semana dos dias 16 e 23 de maio.

Advertisement

O Cruzeiro também tem confrontos com o Juazeirense, pela terceira fase da Copa do Brasil, que devem ser realizados apenas nas duas primeiras semanas de junho, já com a Série B em andamento. Portanto, Felipe Conceição terá, no mínimo, quatro semanas cheias de trabalho até a estreia na segunda divisão.

O momento vivido pela equipe é o melhor da temporada. Desde a parada no Mineiro por conta da pandemia do novo coronavírus, no fim de março, o Cruzeiro apresenta crescimento coletivo e individual, com cinco vitórias, um empate e uma derrota. Nesse período, correspondeu em jogos decisivos e conseguiu vagas na semifinal do Mineiro e na terceira fase da Copa do Brasil.

As boas atuações e os resultados positivos deram respaldo a Felipe Conceição para manter uma escalação. Com exceção à meia esquerda, que teve um rodízio entre Claudinho e Marcinho, o time já tem uma espinha dorsal muito bem definida. Hoje, até mesmo essa função também parece ter dono: Rômulo. O ítalo-brasileiro foi titular nos dois últimos jogos e com ótimas atuações em ambos.

Essa situação, a um mês da estreia na Série B, também é positiva. Ano passado, entre a reta final do Mineiro e o início da competição nacional, Enderson ainda estava ganhando peças. Raúl Cáceres, Giovanni Palmieri e Régis, que despontavam como titulares absolutos, chegaram à estreia do torneio com apenas três jogos cada pelo clube celeste. Ainda havia os casos de Ariel Cabral e Henrique, que haviam acertado o retorno ao clube havia pouco tempo.

Agora, serão (no mínimo) dois clássicos até a estreia na Série B. E o adversário está na elite, tem um trabalho mais consolidado e, na primeira fase, venceu o Cruzeiro com domínio. São testes importantes para ajustes finais pensando no início da competição nacional. Neste momento, a defesa aparece como ponto forte, enquanto o ataque desperta atenção.

Comente! *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Publicidade
Veja também
Publicidade
Publicidade
Publicidade
plataforma ead
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
error: Este conteúdo é protegido!