Publicidade

Felipe Conceição diz que Cruzeiro segue evoluindo e chega forte para as semifinais.

Postado em 26/04/2021 13:09

O Cruzeiro venceu e convenceu neste domingo. Recebeu o Patrocinense, no Mineirão, pela última rodada da fase de classificação do Campeonato Mineiro e goleou por 4 a 0 dominando do início ao fim. Dois pontos se destacaram no triunfo: a grande exibição de William Pottker, que atuou na vaga de Rafael Sobis (suspenso) e foi o nome do jogo, além da utilização massiva de jovens das categorias de base. Esses foram temas centrais da coletiva de Felipe Conceição.

Pottker foi, nesse jogo, o exemplo mais claro de jogador que tem sido reserva, mas que aproveitou bem a oportunidade, quando ela apareceu. A qualidade do grupo foi destacada pelo treinador.

Advertisement

“Fizemos um bom jogo e, além disso, demonstramos a força do elenco. A gente trabalha diariamente, respeitando todos os atletas, tentando todos os dias trabalhar de maneira igual, que todos tenham o mesmo conteúdo, e isso a gente acredita muito que é um dos segredos pro sucesso de uma equipe. (…) Sempre que a gente solicita algum atleta pra atuar, eles têm correspondido, entrado com vontade, procurado manter o padrão. Isso é muito importante. A gente fica feliz. (…) O trabalho diário valoriza isso. Atenção a todos, ao crescimento de todos. Isso me deixa muito satisfeito”.

O grupo, elogiado pelo comandante, tem um misto de experiência e juventude. Os garotos, revelados pelo Cruzeiro, têm sido importantes no início de temporada, e a goleada sobre o Patrocinense foi um ótimo exemplo disso. O time celeste terminou a partida com cinco atletas revelados no clube (metade dos jogadores de linha): Weverton, Geovane, Matheus Pereira, Adriano e Stênio.

“São pratas da casa. A gente precisa ter paciência, colocar nos momentos certos. Todos estão sendo trabalhados com o devido cuidado para dar retorno esportivo e financeiro pro clube, que é importante. Me dá muito prazer ver Geovane estreando, Stênio entrando bem, Weverton tendo sequência, Pereira crescendo como lateral, defensivamente melhorou muito, Adriano, entre outros. É um processo que dá muito resultado a médio e longo prazo, mas, felizmente, a curto prazo já está se mostrando (bem sucedido). É mais uma coisa que me deixa satisfeito”.

“Importante essa situação dos meninos da base. Não estão (jogando) porque são da base. Estão porque estão merecendo no dia a dia. (…) A gente não tem medo de colocar, pelo contrário. Se o atleta tiver desenvolvendo um bom papel no dia a dia, vai ser oportunizado. Se a gente ver que vai ajudar a equipe e o clube, a gente vai fazer. Já demonstramos isso.” 

“O Pottker, assim como os demais, têm trabalhado muito. As coisas que acontecem com ele, com o Jadson, com o Geovane, com vários atletas do nosso grupo, diria todos, que estão evoluindo, não são por acaso. É o trabalho diário. Houve, sim, conversa com ele. Houve sempre a disponibilidade dele de atuar ali (como referência), e demonstrou o potencial para atuar nessa posição, que a gente já conhecia. Atuou (assim) em outras equipes. A gente fica feliz, porque é mais um atleta que está desempenhando bem. Deixa a equipe cada vez mais forte. Estão todos de parabéns”.

“Quando me perguntam quando o Cruzeiro vai apresentar um melhor futebol, quando vai estar preparado, (digo que) preparado nunca, porque a gente vai ter que crescer sempre. Mas a entrega dos atletas, a dedicação deles, otimiza esse tempo, reduz esse tempo. A gente está com um processo de pouco mais de dois meses. É pouco para se construir uma equipe sólida, com padrão. Mas a gente está passando as barreiras e otimizando esse tempo por causa da entrega dos atletas. Não tenho dúvida disso, e a gente tem que continuar nesse caminho. Por isso que sempre, independentemente da vitória ou da derrota, eu falava que a gente estava no caminho certo, porque o dia a dia nosso é muito bom, muito proveitoso. Nos treinamentos, sempre a gente ganha alguma coisa. Sendo assim, não tem como: a gente vai continuar crescendo, e os atletas vão continuar evoluindo”.
 
“A questão de favoritismo é muito da imprensa, da torcida, do externo. Acho que o futebol realmente se resolve dentro de campo. É lógico que o América tem um processo de médio e longo prazo. Isso dá uma solidez, dá uma consistência. É uma equipe que no ano passado já chegou às finais (do Mineiro), o Cruzeiro não. Nós estamos crescendo ainda, mas o futebol se resolve dentro de campo. A gente vai buscar passar por essa fase e chegar à final do campeonato”.

Comente! *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Publicidade
Veja também
Publicidade
Publicidade
Publicidade
plataforma ead
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
error: Este conteúdo é protegido!