Publicidade

Federação Mineira de Futebol divulga protocolo para a volta do Futebol no próximo domingo

Postado em 18/07/2020 13:10

Com a liberação da realização de jogos em Belo Horizonte, praça principal do Campeonato Mineiro (quatro equipes sediam partidas na capital), a Federação Mineira finalizou o conjunto de procedimentos que deverão ser adotados antes, durante e depois das partidas na retomada do Estadual.

A capital mineira, inclusive, terá de cumprir exigências diferentes de outras praças. Dentre os destaques estão algumas proibições a “ações” bem comuns entre os jogadores: cuspir no chão, beijar a bola e comemorar gol junto dos companheiros. Tudo proibido. No protocolo, não estão previstas punições em caso de descumprimento. Cada clube poderá ter 40 membros na delegação por jogo.

Será de responsabilidade da equipe mandante o cumprimento do protocolo. Nele é obrigatório o uso de máscara durante todo o período de permanência de todos que estiveram no estádio. Será aferida temperatura na entrada ao local de jogo. Em Belo Horizonte, todos que tiverem acesso ao estádio terão de apresentar exame negativo de Covid-19, realizado em até 48 horas, para ter acesso ao Mineirão ou Independência.

Os locais de jogo serão divididos em duas “zonas”, que deverão adentrar ao estádio em portões diferentes:

  • Zona 1 (campo de jogo e vestiários):delegações dos clubes (40 em cada uma), arbitragem (quatro), quadro da FMF (seis), equipe de doping (dois), televisionamento (11), gandulas (seis), maqueiros (dois), responsáveis por placa de publicidade (dois), segurança privada/Polícia Militar (10), funcionários do estádio (três), enfermeiros e médicos (quatro) e equipe do VAR (oito).
  • Zona 2 (cabines de imprensa e arquibancada):Membros de Diretoria, Conselho Deliberativo, Departamento de Análise de Desempenho, Imprensa, Comunicação, Marketing, Jurídico, seguranças e demais setores dos clubes, que não terão acesso ao campo de jogo em nenhuma hipótese. Eles não podem ter acesso ao ônibus da delegação.

Período de treinos

Os clubes deverão enviar até o dia 23 de julho, à FMF, o questionário de sintomas dos últimos sete dias de toda a delegação que irá para a partida, com o resultados dos testes de PCR. Atletas, membros de comissão técnica ou funcionários que apresentarem qualquer sintoma ou resultados positivos e/ou inconclusivos não poderão viajar, devendo ficar isolados por 14 dias.

Só poderão viajar para os jogos ou, no caso do mandante, entrar em concentração, os atletas que apresentarem pelo menos um teste PCR negativo e questionários dos últimos sete dias sem qualquer intercorrência.

Concentração e viagens

Todas as equipes deverão, obrigatoriamente, se concentrar na cidade onde será realizada a partida com, no mínimo, 48 horas de antecedência. A relação da delegação, para as duas rodadas restantes, deverá ser enviada até 21 julho à entidade. Somente em caso excepcional a relação poderá ser alterada. A FMF vai arcar com as despesas dos testes.

Da mesma forma, será proibida de se deslocar até o estádio ou a cidade do jogo a pessoa que tiver compartilhado do mesmo quarto ou viajado em poltrona contígua (caso não tenha sido possível o uso de poltronas alternadas) com alguém que testou positivo, ainda que seu exame tenha apresentado resultado negativo.

Os hotéis, centro de treinamento ou similares deverão comprovar previamente a manutenção do sistema de ar condicionado, incluindo dormitórios. Se uma equipe apresentar número insuficiente para a realização de um jogo (11), será decretado W.O. em desfavor do clube. O clube deverá nomear um “coordenador de operações”, responsável por cuidar do protocolo e enviar uma lista de todos os membros da delegação e funcionários que estarão no estádio, com as devidas funções.

Atletas, comissão técnica e arbitragem

Podem ficar sem máscaras jogadores em campo, equipe de arbitragem e treinadores. Jogadores no banco de reservas precisarão usar a proteção, exceto quando estiverem em aquecimento. A hidratação deverá ocorrer com recipientes individuais. É proibido o compartilhamento.

Será proibido cuspir no chão, beijar a bola e também comemorar o gol com contato e de maneira coletiva. Segundo o protocolo, a higiene nasal deve ser realizada com lenços descartáveis, que deverão ser depositados em local apropriado. Cumprimentos entre atletas e equipes de arbitragem somente à distancia, assim como não poderá haver troca de peças de uniforme, nem das flâmulas. Também não haverá execução do Hino Nacional.

No banco de reservas, todos os membros devem adotar uma distância de um metro entre cada um. Para isso, áreas atrás dos gols, nas laterais do campo ou até mesmo nas primeiras filas de arquibancada poderão ser ocupados, desde que isolados de outros profissionais que estão permitidos de ficar na área externa do gramado. Cada clube deverá disponibilizar frascos individuais de álcool em gel 70% para todos os membros.

Não poderá haver presença de crianças, mascotes ou representantes na entrada de campo, ou até mesmo funcionários para realizar campanhas publicitárias no gramado. A entrada em campo seguirá a seguinte ordem: equipe de arbitragem, time mandante e, por último, os visitantes. A saída de campo de maneira inversa. O protocolo recomenda a permanência no vestiário o mínimo possível.

A equipe de arbitragem será testada 48 horas antes do jogo, devendo permanecer isolados depois. Exceto durante as partidas, os árbitros deverão usar proteção individual.

Higienização do estádio e doping

A Zona 1, que receberá jogadores, arbitragem e outros personagens que ficarão no gramado, deverá passar por uma higienização total 24 horas antes do jogo. Inclui-se: porta de entrada, vestiários, túnel de acesso ao campo, bancos de reservas, entorno do campo de jogo (incluindo as traves do gol) e sanitários. Os locais, após desinfectados, deverão ser isolados e lacrados.

Sobre o exame antidoping, somente um jogador de cada equipe será submetido ao exame. A escolha dos atletas será definida por sorteio no dia anterior. Os Oficiais de Controle de Dopagem (OCD) deverão utilizar máscaras, protetores faciais de uso individual e luvas, além de manter o distanciamento de um metro. Os atletas submetidos ao exame deverão utilizar máscaras.

Maqueiros deverão higienizar as mãos após cada atendimento e antes do início de cada tempo de partida. Mesma situação dos gandulas, que ainda terão de higienizar as bolas a cada reposição.

Imprensa

Em todos os jogos, só terá acesso ao campo de jogo a equipe de TV detentora dos direitos de transmissão. Deverão respeitar distância mínima de dois metros aos demais envolvidos. Não haverá zona mista, nem sala fechada para entrevistas coletivas.

As entrevistas com técnicos e atletas, da equipe de TV, só poderão ser feitas com microfone à distância. Após as partidas, as entrevistas com treinadores e atletas, a exemplo da orientação para os treinos, serão realizadas pelas próprias equipes de TV dos clubes, com transmissão ao vivo ou gravação e disponibilização para a imprensa, desde que haja um profissional de mídia dos clubes dentro da delegação (estando testado e isolado).

Com a exceção da emissora detentora dos direitos de transmissão, todos os demais veículos de imprensa e de fotografia somente poderão ficar nas arquibancadas. Roupas e bolsas/malas de equipamentos deverão ser higienizados.

Em cada tribuna de mídia (cabine) somente será permitida a permanência do narrador durante o desenrolar da transmissão. Nas bancadas, será possível colocar os comentaristas de cada emissora, respeitando o distanciamento social determinado.

As equipes de TV de emissoras não-detentoras e as de gravações poderão utilizar apenas repórter e cinegrafista.

Clique e veja baixo o Protocolo Oficial:

PROTOCOLO DE OPERAÇÃO DE JOGOS – CAMPEONATO MINEIRO SICOOB 2020

 

Comente! *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Publicidade
Veja também
Publicidade

Noticias relevantes:

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
error: Este conteúdo é protegido!