Publicidade

Cruzeiro tem tarde de Cruzeiro, completa oitavo jogo sem vencer e segue no Z-4

Postado em 24/07/2021 18:37

Rodrigo Pastana, diretor de futebol do Cruzeiro, afirmou durante a semana, sem qualquer constrangimento, que o time briga pelo acesso. Em campo, a equipe tem apontado para sentido contrário. Se houver qualquer dúvida, basta uma rápida conferida na tabela de classificação. Desse modo, a Raposa vai levando, aos trancos e barrancos, a Série B do Brasileiro.

Na sexta-feira (30), o Cruzeiro volta a campo para receber o Londrina, às 21h30, no Mineirão. No mesmo dia, no Brinco de Ouro da Princesa, o Vila Nova visita o Guarani, às 11h.

A cada jogo nesta Série B, Mozart mexe na equipe. Embora já tenha ressaltado que as constantes alterações têm ocorrido por fatores alheios à sua vontade, como lesões, desgaste e cartões, a prática aponta para um treinador desnorteado quanto ao que fazer para o Cruzeiro se apresentar de forma consistente, estável e eficaz. Num jogo, ele vai com dois zagueiros. Em outro, três. Atleta que não tem sido relacionado, aparece, “do nada”, entre os 11. Peças então consideradas titulares, de uma rodada para outra, surgem como opção de banco. Neste sábado, contra o Vila Nova, em Goiânia, o Cruzeiro foi mais um retrato dessa mixórdia.

Advertisement

Os donos da casa começaram à vontade, incomodando a Raposa, principalmente pelo lado esquerdo com o bom lateral Willian Formiga. Em uma dessas investidas, ele colocou a bola na cabeça de Henan, mas Fábio fez ótima defesa e evitou o gol do Vila. No lance, o atacante goianiense cabeceou livre, próximo à pequena área, enquanto os grandalhões Ramon (1,85m), Rhodolfo (1,93m) e Eduardo Brock (1,86) assistiam, perdidos, torcendo contra o pior. O Vila ainda teve outra boa chance, criada pela esquerda, mas Renan Mota concluiu para fora.

O Cruzeiro melhorou um pouco o rendimento a partir dos 20 minutos e chegou com muito perigo à meta de Georgemy. Na primeira boa jogada criada pelo ataque, Thiago cruzou pela direita, mas Rafael Sóbis, livre, mandou à esquerda do gol do Vila. Em outra boa troca de passes ofensiva, novamente Thiago ajeitou para Rômulo que, de fora da área, mandou na trave esquerda. E só!

Da primeira para a segunda etapa, apesar das alterações, nada mudou. Um Cruzeiro desfigurado que pouco ameaçou a defesa vila-novense e justificou sua condição na Série B do Brasileiro. Contrariando o otimista diretor Rodrigo Pastana, mais próximo da Série C do que do acesso à elite do futebol nacional.

 

 

Fonte: OTEMPO.com

Comente! *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Publicidade
Veja também
Publicidade
Publicidade
Publicidade
plataforma ead
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
error: Este conteúdo é protegido!