Como Rafa Araújo saiu de Divinópolis para se tornar referência num mercado americano? Conheça a trajetória de sucesso

Postado em 12/05/2020 19:58

 

Rafa Araújo no estádio Camp Nou, na Espanha.

 

O divinopolitano Rafael Araújo, 35 anos, tornou-se empreendedor consagrado do mercado educacional/esportivo. Especializado no intercâmbio de atletas no Brasil e da América Latina, Rafa (como é chamado por amigos) gerencia um empreendimento que promove intercâmbio e até bolsa para jovens que sonham em estudar na América.

Mas não pense que tudo foi fácil.

Sempre solícito, Rafa conversou conosco para narrar sua trajetória de inspiração.

O Início de um Canhoto Habilidoso

Nascido e criado na região do Vila Romana, Rafa conheceu o cheiro de grama desde pequeno.

Minha paixão pelo futebol amador surgiu de família. Meu pai me levava sempre pra ver jogos e frequentei escolinhas desde criança. Cheguei a disputar um Mundialito com 9 anos de idade. Pelo Flamengo de Divinópolis fui destaque em vários torneios.
O convite do América veio pelo Jair Bala, que trabalhava na categoria de base do América-MG e me observou jogando em Itaúna”, ele relembra.

Do América Para a América

Passei bons anos no time do América, onde me profissionalizei. Quando percebi que não teria mais chance no time principal decidi dar um passo ousado e fui para os Estados Unidos.

Pesquisando sobre como morar na América, soube das bolsas para atletas e consegui uma vaga para estudar no estado do Tennessee. Através do futebol eu consegui estudo, moradia e alimentação. Tudo pago através do mesmo sistema de bolsas que conseguimos total ou parcialmente para os jovens que nos procuram.

Rafa estudou e jogou pela Cumberland University, onde foi eleito para a seleção da conferência por 3 anos consecutivos e, campeão da conferência Transouth em 2005-2006. Formou-se em General Business, o equivalente à faculdade de Administração no Brasil.

Em gramados norte-americanos.

 

Agenciamento de Estudantes e Atletas

O trabalho de diretor international de recrutamento é complexo. O processo de avaliação de bolsa para um jovem que quer ingressar no mercado americano é rigoroso.

É aí que entra o nosso trabalho. Cuidamos de todo o processo burocrático. Negociamos a possibilidade de bolsas, cuidamos da matrícula, realizamos todo a construção de ponte sólida”, diz Rafa.

O desejo de empreender já existia em mim, pois meu pai já tinha uma empresa. Antes de ter meu negócio trabalhei até em multinacionais para assimilar aprendizados e experiências. Mas sempre ambicionando abrir meu próprio negócio.

“Em 2013 comecei minha primeira empresa. Iniciamos com o intercâmbio de atletas entre Brasil e EUA. O resultado foi muito bom e migrei pra outros países da América Latina, sendo responsável hoje por recrutamento em diversos países.”

Pulverização dos negócios

“Em 2015 abri minha segunda empresa. Design e decoração de eventos. Não era um plano sonhado, mas percebi a oportunidade e ao pesquisar, resolvi investir momentaneamente naquele ramo.”

“Creio que a pulverização de investimentos seja importante. Não depender de um só negócio é uma boa estratégia. Porém exige muita organização.”

Já em 2017, Rafael vendeu sua empresa de Design de eventos e, abriu a RA Representações e Consultoria. Empresa que assessora start ups e empresas no ramo alimentício.

Atualmente, Rafa Araújo se divide entre Belo Horizonte, Divinópolis, vários estados do Brasil, América Latina e Estados Unidos.

Numa cidade onde o desafio da geração de empregos é um problema crônico, a história de motivação e organização de Rafa é um exemplo para os que querem empreender.

 

Palestrando sobre o mercado.

Veja também
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios
error: Este conteúdo é protegido!