Publicidade

“Com salário atrasado não dá”, diz Luxemburgo sobre Cruzeiro.

Postado em 26/07/2021 13:01

Os salários atrasados do elenco do Cruzeiro foram assunto na conversa entre o principal patrocinador do clube, o empresário Pedro Lourenço, e o técnico Vanderlei Luxemburgo. As tratativas entre as partes para o retorno do treinador à Toca da Raposa foram detalhadas nesta segunda-feira.

O treinador afirmou ter sido procurado pelo empresário e também pelo presidente do Cruzeiro, Sergio Santos Rodrigues. De acordo com o próprio Luxemburgo, ele recusou avançar na negociação em respeito a Mozart Santos, atual comandante do Cruzeiro.

Advertisement

Além de não querer negociar com um clube que tem técnico empregado, Luxemburgo quis saber mais detalhes sobre as questões salariais do elenco cruzeirense. “Com o salário atrasado não funciona” disse o treinador.

Em entrevista na quinta-feira da última semana, Rodrigo Pastana, diretor de futebol da Raposa, falou sobre o assunto. De acordo com o dirigente, o clube deu preferência em quitar os vencimentos dos colaboradores, com o aval do elenco, que seguem com os salários atrasados.

“Não há expectativa de prazo, temos que matar um leão por dia. Na última semana, solicitei ao Sérgio (Santos Rodrigues) e ao Paulo Assis, nosso CEO, todos os salários dos funcionários foram pagos. Uma folha quase inteira na sua totalidade. Jogadores que ganham valores significativos, deixaram de receber. O clima é melhor. Você pode cobrar um pouco mais”.

Na vice-lanterna da Série B, com 12 pontos conquistados em 14 rodadas, o Cruzeiro passa por grave crise técnica, financeira e administrativa. O time vem de oito derrotas seguidas na temporada. Na próxima sexta-feira, às 21h30 (de Brasília), o Cruzeiro enfrenta o Londrina, no Mineirão, pela 15ª rodada do campeonato.

Luxemburgo só poderia ser contratado pelo Cruzeiro em caso de um pedido de demissão de Mozart. A regulamentação aprovada pelos clubes das Séries A e B não permite que uma agremiação demita dois treinadores e contrate um terceiro. Se ocorrerem duas demissões por parte da equipe, a mesma precisa utilizar um profissional que esteja há pelo menos seis meses vinculado ao time.

Entretanto, o Cruzeiro não resolveu ainda a situação com Felipe Conceição. è que existe a discussão na CNRD, neste momento, se a saída do técnico do clube foi em comum acordo ou por motivação exclusiva do Cruzeiro. Se for determinador que ela ocorreu em comum acordo, a Raposa poderá contratar mais um técnico.

Comente! *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Publicidade
Veja também
Publicidade
Publicidade
Publicidade
plataforma ead
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
error: Este conteúdo é protegido!