Rascunhos da Vida: Um átono... - Portal MPA

Publicidade

Rascunhos da Vida: Um átono…

Postado em 18/03/2022 6:00

A língua portuguesa é linda e expressiva, o domínio das regras gramaticais, bem como uma boa ortografia fará com que tanto o autor, quanto o leitor tenham uma experiência agradável com um texto.

I Tessalonicenses 4.9-12

Retirado do site: https://www.pexels.com/pt-br/foto/garotos-meninos-rapazes-infancia-8617938/

Minha mãe foi minha segunda professora, e até a antiga quarta série tive a oportunidade de ter apenas três professoras. Em cinco anos ela foi minha professora por três anos. Quando entrei no ensino médio, tive uma única professora de português, Dona Puríssima, que por sua vez era prima de meu pai. Uma professora que tinha o domínio da matéria lecionada e nos trazia a classe dentro de uma dupla disciplina. Primeiro a disciplina da língua lusitana, e segundo na disciplina em sala de aula.

Em sala de aula deveríamos nos assentar eretos, encostando nossas costas no encosto da cadeira, que em hipótese alguma deveria ser gangorrada (melhor dizendo gangorreada), sobre a mesa apenas livro, caderno, lápis, borracha, régua e canetas (nada de brinquedinhos do Kinder Ovo). No final do caderno deveríamos separar uma parte dele para um glossário, onde poderíamos colocar as palavras novas introduzidas em nosso vocabulário. Uma das primeiras que escrevi foi átono, algo sem acento tônico, atônico. Fiquei pensando naquilo, uma palavra átona era algo que não tinha expressão nítida.

Chegando a casa naquele dia, após fazer meus deveres fui para a pracinha brincar com as outras crianças. Lembro-me que cai do alto de uma das extremidades do canteiro e só fui parar debaixo do banco que havia lá em baixo do outro lado do corredor. Tentei gritar de dor, mas as palavras não eram emitidas, pela primeira vez entendi o que era uma palavra átona. Sem expressão, sem emoção, sem palavras, sejam elas faladas ou escritas.

Paulo escreve aos irmãos de Tessalônica, dizendo sobre o amor fraternal, mas ao mesmo tempo dizia não preciso vos escrever sobre isso. Não é necessário lhes enviar uma única palavra seja ela tônica expressiva ou átona sem expressão, pois em seu proceder já haviam compreendido como devemos ser uns para com os outros.

O amor fraternal (derivado da palavra grega φιλεω ⇾ Philéo) deveria ser expressão comum entre os irmãos, onde o amparo, o cuidado, o afeto deveriam ser uma constante. Bem como o ensino, a repreensão, a exortação uma prática comum no meio cristão.

Pense nisso: Não podemos viver nesta terra sem expressar o amor de Deus. Palavras átonas podem até existir, mas atitudes átonas nunca devem existir, pois nós fomos chamados para ser a expressão do grande amor de Deus para com os homens, o qual foi manifesto na vida e na morte de seu filho amado e unigênito.

Um grande e forte abraço!
Nos eternos laços do amor de Cristo.

Rodrigo Fonseca Andrade
Um servo que olha seus atos para que não sejam átonos.