Rascunhos da Vida: Palavras com sentido... - Portal MPA

Publicidade

Rascunhos da Vida: Palavras com sentido…

Postado em 16/05/2022 6:00

Toda palavra tem um sentido no contexto onde está inserida. Uma palavra de boa significação pode ser ruim aos ouvidos ou dolorosa dependendo do momento em que estamos vivendo.

I Coríntios 14.10-12

Retirado do site: https://www.pexels.com/pt-br/foto/pessoa-com-uma-camiseta-roxa-de-gola-redonda-so-eu-pintando-a-mao-52986/

Há mais de doze anos João Victor (meu filho) foi comigo a uma festa surpresa para a Daniela, minha supervisora quando era instrutor da Microlins em Campo Belo. Antes de ir fiz uma promessa ao pequeno João. Chegando lá cantamos os parabéns, então ofereceram salgados a meu filho que educadamente pegou um e um pouco de refrigerante.

Quando ofereceram outro ele não aceitou e argumentou: “Papai prometeu que vamos comprar milho para comer”. “Você vai comprar milho verde?”, “Não, milho amarelo!”. Não me lembro de quem fez a primeira exclamação, mas assim aconteceu. Milho é o que queríamos comprar, verde por não estar maduro, mas no entendimento de uma criança bem pequena a cor estava relacionada ao produto. Será que o certo não seria “vou comprar milho não maduro”?

“Vim receber o aluguel” é uma exclamação que trás alegria a quem recebe, mas num momento como este no qual vivemos é uma palavra de sentido apunhalador para quem não tem condições de arcar com o compromisso assumido devido ao momento em que está vivendo os que estão dentro de um conjunto de situações. Dependendo do contexto a palavra trará alegria ou dor ao coração de quem ouve.

Sabemos que o momento que estamos vivendo torna os corações mais sensíveis, faz com que o choro seja mais visível, a saudade “tocável”, os medos amplificados, a insegurança geral. Então uma palavra escrita ou falada de forma inadequada, que não traga edificação faz com que muitos se sintam feridos, desmotivados, ou amedrontados devido às circunstâncias atuais.

“Tantas espécies de vozes no mundo, e nenhuma delas sem significação”, é assim que Paulo alerta para o conteúdo das palavras sem sentido. Neste momento quero mudar o foco, não abordando a questão da glossolalia, mas abordando a significação de edificação. O que Paulo está salientando não é a fala, mas o conteúdo edificativo. De que adianta falar algo que não é entendido, ou mesmo com um sentido afrontivo ou agressivo, ou de duplo entendimento?

As palavras farão sentido dentro de uma situação. Se vivemos em tempos de angústia algumas soarão como um punhal no coração de quem ouve. Por sua vez se vivemos em tempos de grande bonança talvez soem como balsamo aos corações. Ter uma “arma de fogo” em suas mãos num momento de paz pode trazer segurança, mas num momento de guerra pode gerar apreensão ou mesmo medo.

O que você tem escrito ou falado neste momento de crise mundial que possa contribuir para o crescimento e edificação dos que estão ao seu redor? Não sei o que você está vivendo, mas eu só tenho focado nas palavras que confortam, edificam ou me dão um propósito para o futuro. Pense nisso, somos mais responsáveis pela nossa forma de expressar dando significado as palavras do que não nos expressar.

Um grande e forte abraço!
Nos fraternos laços do amor de Cristo.

Rodrigo Fonseca Andrade
Um servo que se esforça para ouvir e falar o que edifica.