Rascunhos da Vida: Mureta de Contenção - Portal MPA

Publicidade

Rascunhos da Vida: Mureta de Contenção

Postado em 29/11/2021 6:00

As construções em uma grande cidade não obedecem a um padrão, mas são ditadas por uma tendência. Quando as modificações são muito grandes tornam-se necessárias também algumas mudanças visando à proteção dos habitantes do local.

Salmo 122.7

Retirado do Site: https://www.freeimages.com/pt/photo/hdr-old-house-2-1581790

A casa do vô Eurivaldo fica na parte de baixo da rua, e quando eu falo parte de baixo é a parte baixa mesmo. Quando muito pequeno a rua era um pouco em declive e a água da chuva muitas vezes entrava pela porta da casa do vovô. Para proteger a casa o alpendre fica em um nível mais baixo que o restante da casa.

Quando menino houve uma inovação por parte da prefeitura de Pedra do Indaiá. Foi construída uma mureta de contenção de fora a fora na rua principal. Essa mureta tem aproximadamente trinta centímetros de espessura e a altura é variável. Em alguns lugares tem a altura de quinze centímetros, noutros mais de um metro. Com isso a rua ficou nivelada.

A cada espaço determinado foram construídos pilares que ficaram com suas “esperas” para a parte de fora. As esperas também tinham tamanhos diferentes, algumas ficaram com poucos centímetros de altura, outras ficaram com quase um metro (depois de muito tempo alguém mandou cortar todas elas junto ao topo da mureta).

A mureta servia para duas coisas, proteger as casas de água ou desabamento e nos ajudar a treinar equilíbrio. Quase todos os meninos da cidade se atreviam a andar por quase um quilômetro sobre a mureta se equilibrando com as mãos para não cair. Eu não precisava disso, na verdade corria sobre elas com muita facilidade. Vez por outra caia lá de cima, arrebentava o joelho, as mãos, as costas, e a cabeça. Voltava para casa sempre arranhado, ou cortado e muitas vezes cheio de “galos” na cabeça (aquelas pequenas inchações provenientes de pancadas). Mesmo assim continuava brincando, pois sentia paz e segurança naquelas brincadeiras.

Nos tempos das narrativas bíblicas era muito comum existirem guerras para tomada de posse das cidades. Uma das formas de se proteger era fortificando as mesmas com grandes muros. Quanto mais alto, largo e resistente o muro, mas seguros seus habitantes se sentiam. A promessa do salmo 122 em seu versículo sete é de paz e prosperidade.

A palavra paz significa ausência de lutas, violências ou perturbações sociais, é a ausência de conflitos íntimos ou externos, bem como tranquilidade e sossego para a alma. Por sua vez prosperidade significa ter algo favorável a você gerando a ausência de necessidades. Então a promessa do Senhor ao povo era suas necessidades serão supridas e haverá paz sobre você quando minha bondade e misericórdia o cercar por todos os lados. Pense nisso e confie no Senhor e deixe Ele te cercar.

Um grande e forte abraço!
Nos fraternos e majestosos laços do amor de Cristo.

Rodrigo Fonseca Andrade
Um servo que está cercado pela bondade e misericórdia do Senhor

Publicidade
Veja também
Publicidade

Noticias relevantes:

<
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios
Autor do blog: Rodrigo Andrade

Rodrigo Fonseca Andrade é um microempreendedor, teólogo e professor de línguas clássicas (Grego Koinê e Hebraico Massorético). Casado com Sílvia e pai de João Victor e Isabelle. Com formação em Tecnologia, Meio Ambiente e Teologia. Tem como objetivo principal tornar o conhecimento teológico simples e abrangente. Sendo assim demonstra através de fatos da vida como Deus é soberano e dirige nossa história pessoal. Neste blog você lerá, lembrará e se identificará com muitos dos fatos bíblicos exemplificados de forma simples e objetiva.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade