Publicidade

Rascunhos da Vida

Rascunhos da Vida: Julgamentos

Postado em 27/12/2020 6:00

Certa vez trabalhei numa empresa de gerenciamento de tecnologia, tínhamos especialistas em várias áreas. Unix, Linux, Solaris, Windows Server, Cabeamento estruturado, entre outros. Eu era responsável por distribuir as tarefas e organizar a equipe. Houve então uma vacância de um especialista em Linux. Selecionei os currículos recebidos e deles selecionei dois.

João 7.24

Retirado do Site: https://pt.freeimages.com/photo/hammer-to-fall-1223606

Um era alto, esguio, usava um óculos delicado para a época, o outro de porte médio, musculoso, com algumas tatuagens inclusive uma no pescoço. Um falava pouco, era muito tímido, o outro falava pelos cotovelos. Contratei o musculoso fanfarrão. E disse ao outro que se precisasse e ele não estivesse trabalhando o chamaria novamente.

Advertisement

Em menos de dez dias precisei mandar o “bombadinho” embora, pois ele não soube fazer um reparo num servidor que até eu com meu pouquíssimo conhecimento de Linux sabia fazer.

Contratei o “óculos delicado” para a vaga novamente. Esse era muito competente, fazia o seu serviço com afinco, capacitava-se sempre, não deixava seu espaço de trabalho desorganizado, e nas horas vagas ainda limpava toda a área técnica. Depois de um tempo deixei a empresa e tenho certeza que ele me substituiu, e acredito que se ele não alcançou proeminência na sua área a nível nacional, isso ainda vai acontecer.

Naquele dia eu não julguei pela aparência, mas pelo todo. A bela aparência, e a fala retórica me convenceram. Esqueci-me dos valores cristãos aos quais eu tanto prego. Não julgueis pela aparência. É claro que muitas vezes somos falhos por fazermos um pré-julgamento das pessoas. Julgamos a aparência, a fala, os gestos, as ações, mas nos esquecemos de que talvez a pessoa tenha motivos para agir daquela forma.

Traumas podem afetar nosso agir. Medo pode afetar nosso agir. Podemos agir de maneira dissimulada ou mesmo de maneira decorada para enganar as pessoas. Por isso não devemos julgar sem conhecimento. Quando Jesus disse: julgueis segundo reto juízo, Ele estava afirmando existem critérios para que você possa avaliar uma pessoa. Existem formas para que você credite ao outro veracidade em suas palavras e atitudes.

Pense comigo, quantas vezes falhamos em nossos julgamentos? E se ao julgar o outro conhecêssemos o coração não seria diferente nossa atitude? Peça a Deus para lhe orientar nos julgamentos, peça a Deus para lhe aconselhar e mostrar como viver com um coração reto e dirigido por Ele.

Um grande e forte abraço!
Nos eternos e fraternos laços do amor de Cristo.

Rodrigo Fonseca Andrade
Um servo que falhou nos julgamentos.

Publicidade
Veja também
Publicidade

Noticias relevantes:

<
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios
Autor do blog: Rodrigo Andrade

Rodrigo Fonseca Andrade é um microempreendedor, teólogo e professor de línguas clássicas (Grego Koinê e Hebraico Massorético). Casado com Sílvia e pai de João Victor e Isabelle. Com formação em Tecnologia, Meio Ambiente e Teologia. Tem como objetivo principal tornar o conhecimento teológico simples e abrangente. Sendo assim demonstra através de fatos da vida como Deus é soberano e dirige nossa história pessoal. Neste blog você lerá, lembrará e se identificará com muitos dos fatos bíblicos exemplificados de forma simples e objetiva.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
error: Este conteúdo é protegido!