Rascunhos da Vida: Debulhador de milho... - Portal MPA

Publicidade

Rascunhos da Vida

Rascunhos da Vida: Debulhador de milho…

Postado em 31/08/2021 6:00

O avanço da tecnologia auxilia nas tarefas, contribui para a facilidade da comunicação, ajuda a melhorar o ganho na produção de matéria prima, ou na confecção de novos produtos.

I Coríntios 9.1-14

Retirado de arquivo pessoal.

O vô Benevides costumava nos dar a tarefa de debulhar o milho para jogar para as galinhas. Pela quantidade de galinhas precisávamos debulhar umas vinte espigas para satisfazer todo o galinheiro. No começo dava calo nas mãos, mas depois desenvolvi uma técnica muito boa. Retirava uma carreira de milho da espiga depois era só torcer na mão e “voilà” o milho era debulhado rapidamente. Tornei-me o “Mestre dos milhos”.

Vovô gostava tanto da minha técnica que sempre que ele me via pedia para tratar das galinhas (na verdade acho que era um jeitinho de me manter ocupado para não fazer bagunça). O mais difícil era arrancar o primeiro grão de milho, o restante era fácil, fácil.

Passado um tempo vovô comprou uma debulhadora de milho manual. Era tão bonita, verdinha e brilhante. Rodava-se a manivela (sempre o mais forte, ou seja eu) então o Deco e Ronaldo ficavam incumbidos de colocar os milhos que cheios de grãos saiam praticamente banguelas do outro lado. Cabendo apenas a nós a tarefa de arrancar os grãos sobreviventes. Em poucos minutos enchíamos um tambor, então tínhamos comida para as galinhas, porcos e cavalos (dos quais a Pomba, uma égua branca era a mais comilona). Vovô pediu para não arrancar todos os grãos que sobrassem para que os porcos roessem também os sabugos (ou “sabugos”).

Quando terminávamos a tarefa o vô Benevides, de vez em quando nos levava na sorveteria ao lado da casa dele para pagar nossa mão de obra. Como era delicioso aquele sorvete. Com isso aprendemos a valorizar todo o suor derramado, todo calo nas mãos, e a competência em delegar tarefas.

O Apóstolo Paulo exorta a igreja a valorizar aqueles que estão a sua frente e que se esforçam no ensino e admoestação do Senhor, que ajudam no cuidado do rebanho, que ferem seus joelhos intercedendo por cada uma das ovelhas do Deus Altíssimo.

Ele usa de ironia ao dizer: será que Deus estava se importando com o boi? E com isso demonstra que o Senhor de forma didática ensinava é que todo trabalho, toda tarefa deve ser valorizada. Portanto, se temos bons líderes espirituais, que se esforçam para instruir-nos, para nos fortalecer, para nos orientar no caminho, valorizemos cada um deles. Sejamos submissos desde que não estejam procedendo enganosamente, nem mesmo estejam ensinado mentiras, pois um dia eles prestarão contas diante do El Shaday. E com certeza isso será algo muito pesado, ao ponto do autor de Hebreus dizer: “Horrenda coisa é cair na mão do Deus vivo” (Hebreus 10.31).

Pense nisso, e valorize seus líderes espirituais lembrando-se deles em oração, sabendo que são tão humanos e falhos como nós, mas que segundo a capacitação do Espírito Santo foram chamados para o Santo Ministério.

Um grande abraço!
Nos eternos laços do amor de Cristo.

Rodrigo Fonseca Andrade
Um servo que valoriza seu pastor como orientação do Bom Pastor.

Publicidade
Veja também
Publicidade

Noticias relevantes:

<
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios
Autor do blog: Rodrigo Andrade

Rodrigo Fonseca Andrade é um microempreendedor, teólogo e professor de línguas clássicas (Grego Koinê e Hebraico Massorético). Casado com Sílvia e pai de João Victor e Isabelle. Com formação em Tecnologia, Meio Ambiente e Teologia. Tem como objetivo principal tornar o conhecimento teológico simples e abrangente. Sendo assim demonstra através de fatos da vida como Deus é soberano e dirige nossa história pessoal. Neste blog você lerá, lembrará e se identificará com muitos dos fatos bíblicos exemplificados de forma simples e objetiva.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade