Blog do João Cenzi

MAPA DO APOCALIPSE

Postado em 03/02/2020 8:35

Em nossos dias é muito comum depararmos com notícias sobre explosão demográfica, aquecimento global, escalada da violência, inteligência artificial ou desvarios políticos pelo mundo. São temas que preocupam atualmente e, embora aparentemente, nada tenham a ver um com o outro, por isso mesmo são tratados isoladamente. No entanto, se examinados em um conjunto, podem nos dar a perspectiva de um futuro bastante complicado em nosso planeta.

Já somos quase 8 bilhões de almas arrastando-se sobre a crosta terrestre, e a quantidade de seres humanos não para de crescer. Imagine quantas Terras seriam necessárias para que cada uma dessas oito bilhões de pessoas pudessem ter o padrão de consumo médio de um norte-americano. Na aferição de desenvolvimento atualmente em vigor, quanta riqueza deveria ser produzida mundialmente, se cada uma delas devesse ter o mesmo PIB per capita dos moradores de Luxemburgo ou de Mônaco? É possível, então, falarmos em erradicação da fome ou da pobreza, ou distribuição equitativa de renda?

Existem ainda muitos pseudocientistas, normalmente a soldo de gigantes industriais, principalmente petrolíferas, afirmando que a atividade humana não está causando um aquecimento global. Mas a calota polar do Ártico perde área a cada verão e o nível dos oceanos sobe em ritmo acelerado há mais de 60 anos. Nesse passo, em pouco tempo o mundo será confrontado com uma nova onda migratória: a dos sem-país, como os habitantes de Tuvalu ou das Ilhas Marshall.

Richard Dawkins, em seu maravilhoso livro O Maior Espetáculo da Terra, em que traduz para linguagem corrente, em fantásticos detalhes, a Teoria da Evolução de Darwin, mostra que a evolução das espécies não se deve a um planejamento de melhoras, mas sim a mutações aleatórias, nem sempre benignas, mas que oferecem mais capacidade de reprodução e sobrevivência do indivíduo. Expõe também que a evolução pode ser afetada não apenas por questões biológicas, mas também sociais. Com toda a nossa mídia, no mundo todo, sempre ávida pela atenção dos consumidores, explorando à exaustão a violência, não é de se admirar que ela esteja se transformando no maior problema em todos os países. Já é justificada, inclusive, religiosamente, como meio de acabar com os “infiéis”. Essa evolução social certamente não será benéfica para a humanidade!

Não apenas aqui no Brasil, onde entrou em evidência em 2014 e hoje estampa todos os noticiários, mas no mundo todo, a corrupção e o desvirtuamento da Política torna-se a cada dia mais visível e preocupante para a coletividade. Já há muitos anos, ou décadas, a atividade política é exercida absolutamente descolada do bem-comum, que deveria ser o seu Norte. Seja em regimes democráticos ou absolutistas, o que se pode observar é o exercício do Poder apenas por ganância financeira e/ou perpetuação no poder. O povo que se exploda! Até mesmo nos EUA, a meca da Democracia e das oportunidades, a política só gira em torno dos interesses de gigantes industriais, principalmente petrolíferas e armamentistas. No outro extremo podemos contemplar Venezuela e Coreia do Norte.

Para completar esse “mapa do apocalipse”, lembremo-nos da inteligência artificial. Hoje já disseminada a ponto de atender consumidores ao telefone, produzir peças jurídicas e diagnósticos médicos com mais precisão e eficiência que advogados e médicos humanos. Será que existem muitos trabalhadores em telemarketing atualmente no mundo, e que poderiam vir a perder seu posto de trabalho para um código de máquina? Quantas outras profissões poderão ser ameaçadas? Com a intensificação do uso de inteligências artificiais os seres humanos serão obrigados a amealhar mais conhecimentos para se adequarem a uma nova realidade do mercado de trabalho? Se temos no mundo tantos iletrados miseráveis, além da grande massa de analfabetos funcionais, qual deverá ser nosso esforço para trazer toda essa massa de gente para as qualificações necessárias?

Estou exagerando nas perspectivas de cada um desses aspectos? Ou individualmente cada um deles pode realmente impactar significativamente a vida humana em nosso planeta? E em conjunto? Se olharmos detidamente, poderemos constatar que cada um deles pode reforçar os demais. Imagine um cenário de pleno desemprego, com os Estados apenas tentando manter o status quo, com um clima imprevisível e muito mais tormentoso e a uma ferrenha disputa por nacos de alimentos! Será que poderíamos esperar uma insuportável escalada da violência?

Estamos, então, condenados? Certamente não. A humanidade já teve muitos desafios em sua história, e conseguiu chegar onde hoje estamos. No entanto, não devemos nos furtar a prever que profundas correções de rota deverão obrigatoriamente começar a ocorrer. E não podemos mais nos dar ao luxo de relegar à próxima geração as soluções. É mister que cada um de nós, quase 8 bilhões de cérebros, comecemos a nos preocupar com problemas como esses e produzir pequenas mudanças que possam a vir a minimizar suas consequências. Cuidar para que a vida na Terra seja mais propícia a humanos e à vida em geral, e não a interesses puramente financeiros ou de Poder.

É chegada a hora do início de um intenso amadurecimento emocional.

Veja também
<
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios
Autor do blog: João Batista Cenzi

Blog do João Batista Cenzi. Analista político, administrador de empresas e, atualmente, diretor do Instituto de Pesquisas Censuk, João Cenzi é nome presente, há anos, como comentarista político na TV Candidés. No Portal MPA, o Blog do João Cenzi traz as análises pontuais sobre a política brasileira. Sempre com seus traços marcantes: objetividade e sinceridade. Nascido em São João da Vista-SP, Cenzi tornou-se divinopolitano de coração desde a década de 70, pois aqui no Centro-Oeste foi onde constituiu lar, família e empresa. Sua presença também é rotineira nas ondas da Minas FM 104,1.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: Este conteúdo é protegido!