Blog do João Cenzi

O centro aguarda seu rosto em Dívinópolis

Postado em 17/11/2019 13:49

Por João Cenzi

Assim como em todo o Brasil, Divinópolis está dividida em três grandes blocos de tendência do eleitorado: Lula, à esquerda, Bolsonaro à direita e ninguém ao centro.

Pelas pesquisas recentes, os dois primeiros blocos, que praticamente monopolizam a mídia e as redes sociais, têm forças mais ou menos equivalentes, variando de 22% a cerca de 30%. O restante é uma massa amorfa à espera de um rosto amigável.

Estatisticamente, no entanto, mesmo que tomemos a direita e a esquerda pelo seu potencial máximo (cerca de 30% cada), essa massa sem rosto ainda é maioria e, se conseguir se aglutinar, tem força para se impor em 2020. Só lhe falta um líder confiável.

Não disponho de informações mais recentes, portanto ainda é necessário que se afiram com mais acuidade essas tendências, mas em termos gerais, apontados por estudos já com bons meses de idade, esse líder deveria ser:

1) Alguém com idade máxima na casa dos 55 anos;

2) Uma pessoa que já tenha tido êxito financeiro-econômico em sua atividade profissional;

3) Alguém que não seja diretamente ligado à política tradicional de Divinópolis.

Para que possa ser candidato, esse novo líder terá, obrigatoriamente, que ser filiado a um partido político e, à exceção do NOVO, talvez por ser ainda bastante desconhecido, nenhum outro partido conta com a credibilidade do eleitorado, portanto esse novo líder já terá um peso a carregar que será a desconfiança atribuída à história de sua agremiação política. No entanto, ninguém, à exceção dos petistas, vota em partido, então, se esse líder mostrar-se realmente “descolado”, seu partido não lhe será tão pesado a ponto de imobilizá-lo;

4) Alguém que consiga convencer o eleitorado de que agirá mais como gestor do que como político, ou seja, não será o combate aos extremos políticos que atrairá votos. Esses já têm donos. O discurso deverá focar em soluções econômicas, tais como atração de indústrias e criação de empregos, abertura de negócios, fortalecimento do Comércio, desenvolvimento de tecnologias, etc.

5) Os costumes e a religiosidade também devem ficar de fora da atenção prioritária do novo líder. Não será ele que irá convencer a população a ser favorável ou contra o aborto, por exemplo. Os costumes e a religiosidade devem ser tratados como liberdade de expressão da população, desde que exercidos dentro da lei, ou seja, cada um é absolutamente livre para pensar e agir como julgar melhor, desde que obedeça aos limites impostos pela convivência em sociedade;

6) O sexo desse pretenso novo líder, e que pode vir a ser nosso novo prefeito, não será determinante, porém se for uma mulher, poderá contar com uns 10% a mais de simpatia do eleitorado do que se for homem.

Somente o eventual surgimento de um perfil assim poderá mudar os rumos políticos, e consequentemente de desenvolvimento, de Divinópolis. Caso não surja esse amigável rosto, continuaremos sendo administrados por uma das forças políticas de sempre, e pouca coisa mudará.

 

Veja também
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios
Autor do blog: João Batista Cenzi

Blog do João Batista Cenzi. Analista político, administrador de empresas e, atualmente, diretor do Instituto de Pesquisas Censuk, João Cenzi é nome presente, há anos, como comentarista político na TV Candidés. No Portal MPA, o Blog do João Cenzi traz as análises pontuais sobre a política brasileira. Sempre com seus traços marcantes: objetividade e sinceridade. Nascido em São João da Vista-SP, Cenzi tornou-se divinopolitano de coração desde a década de 70, pois aqui no Centro-Oeste foi onde constituiu lar, família e empresa. Sua presença também é rotineira nas ondas da Minas FM 104,1.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: Este conteúdo é protegido!