Blog do Leo Lasmar - Em campo quem ganha são os jogadores, mas brilhou a estrela de Luxemburgo - Portal MPA

Publicidade

Blog do Leo Lasmar – Em campo quem ganha são os jogadores, mas brilhou a estrela de Luxemburgo

Postado em 08/08/2021 14:10

Foi pouco tempo para conhecer e começar a montar o time do seu jeito. Quinta e sexta, somente. Mas Vanderlei Luxemburgo já havia prometido que daria “algo novo” ao Cruzeiro contra o Brusque. E o treinador, pelo que foi mostrado no estádio Augusto Bauer, mexeu com o emocional. Quase não deu certo. Quase. O Cruzeiro empatou e virou depois dos 40 minutos do segundo tempo.

A vitória veio. Com o treinador, o time encerrou um jejum de nove partidas na Série B, sequência que ainda não havia acontecido após o fatídico rebaixamento. Luxemburgo e os jogadores encerraram este recorte ruim da temporada.

Luxemburgo mexeu com o brio dos jogadores. O time jogou com mais intensidade e buscou mais o gol do que vinha fazendo em jogos anteriores. No segundo tempo, levou o gol, mas não se abateu. Abatimento que apareceu em jogos anteriores.

Se o emocional estava em pé, Luxemburgo viu que as mudanças promovidas no segundo tempo também fizeram efeito. Quando o Brusque se aproximava da vitória, Claudinho entrou em campo e, na primeira vez que participou do jogo, cruzou bola para a área, e Felipe Augusto (outra mudança de Luxa na segunda etapa) marcou.

Três minutos depois foi a vez de Giovanni. Testado durante a semana como titular, ele entrou na segunda etapa e virou para o Cruzeiro, contando com a ajuda do goleiro Zé Carlos. Gols com a influência de Vanderlei Luxemburgo.

O triunfo por 2 a 1 tirou o Cruzeiro do Z-4 e deu novo ânimo para a Série B. O time agora precisa cimentar a mudança de panorama e início de uma boa fase. Nada como a sequência de dois jogos em casa (diante de Vitória e Sampaio Corrêa) para isso.

A era Luxemburgo começou bem. O Cruzeiro precisa manter o comportamento de jogo demonstrado com o Brusque e, o mais importante, alcançar uma sequência de vitórias para manter o sonho de acesso. Ainda que ela ainda esteja muito distante.

Por Gabriel Duarte – GE