Publicidade

Blog do Leo Lasmar – Atlético perde pontos que valem Título.

Postado em 21/01/2021 13:43

A volta dos três zagueiros, quando, na verdade, era mais uma mudança do meio de campo e ataque. O Atlético foi diferente para enfrentar o Grêmio, e por muito pouco, não conseguiu uma vitória de peso no Brasileirão. O empate não pode ser visto como resultado ruim, mas fica a sensação de que o Galo esteve muito perto de uma façanha no torneio.

Sem Jair, Jorge Sampaoli optou por abrir Junior Alonso na lateral esquerda, transformar Guilherme Arana em um meia pelo mesmo lado, e acionar Igor Rabello para fazer a dupla com Réver. Na frente, Keno, igualmente aberto na esquerda, faria a dupla com Vargas.

Advertisement

Deu muito certo. Principalmente pela alta concentração da marcação e o posicionamento do Galo sem a bola. O Grêmio teve grandes dificuldades nas jogadas “um contra um”, Diego Souza ficou ilhado entre os zagueiros, e a saída de bola do time de Renato Gaúcho convidava Sampaoli a sentir o gosto da vitória.

Em ótima jogada de Keno, Guilherme Arana sofreu falta após receber de calcanhar de Vargas. O Atlético abria o placar na Arena do Grêmio, com atuação sólida capaz de se tornar apenas o segundo time na competição a derrotar o Tricolor em seus domínios. Entretanto, o Sport, ainda em setembro, seguiria como a equipe que somou três pontos na casa gremista.

O Atlético atacou com perigo outras vezes, mas sempre em escolhas de passe equivocadas no último toque na bola antes da possível finalização. Com Vargas, assustou Vanderlei em chutes de fora da área. O chileno, apesar do passe de calcanhar, não tem grande presença de área. Então, vieram as modificações.

Renato foi bem, Sampaoli, até por falta de opção, não. O Grêmio tirou o apagado Pepê, e acionou Ferreirinha e Everton na esquerda. A mudança, realmente, já havia começado com Maicon no meio de campo, dando qualidade no passe. Luiz Fernando, na ponta direita, virou tormento para Junior Alonso. E os contra-ataques do Atlético ficaram sem fôlego.

Quem entrou, não conseguiu contribuir. Alan Franco ocupou a vaga do apagado Savarino, e conseguiu ficar mais sem brilho ainda. Fora de ritmo, de posição. Viu Ferreirinha avançar na área, tentar a pedalada e “petrificar” Gabriel (que entrou na vaga de Réver no intervalo) e Guga. A bola ficou viva após Diego Souza tentar cavar pênalti, e a defesa do Galo parou. No rebote, Everton acertou o gol de empate.

E, por pouco, o Grêmio não vira. Luiz Fernando deu muito trabalho, Everson precisou espalmar chute colocado de Ferreirinha, e o Atlético só conseguiu chegar uma vez, em chute perigoso de Sasha. Só isso. No fim, a sensação de que o Galo piscou uma vez e foi castigado com o empate. Mas é um resultado que quebra a sequência de oito vitórias seguidos do Grêmio em casa.

A esperança do Atlético é que, contra equipes fora do G-6, a evolução no desempenho renda vitórias, e que, assim como foi na Arena do Grêmio, os outros duelos entre os times que lutam pelo título – São Paulo, Internacional, Flamengo, Grêmio e Palmeiras – também fiquem empatados e não aconteça atropelos do Colorado, novo líder e bastante embalado.

Comente! *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Publicidade
Veja também
Publicidade
Publicidade
Publicidade
plataforma ead
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
error: Este conteúdo é protegido!