Blog Amor Exigente

Paraolimpíadas: Medalha, um exemplo de vida

Postado em 26/10/2019 8:00

Há poucos dias terminaram as paraolimpíadas, desta vez realizada na cidade maravilhosa do Rio de Janeiro, em território brasileiro. Mais que medalhas e conquistas, quantas lições e exemplos de vida, capazes de nos conduzir a reflexões, sejam em relação às superações, aos limites e as deficiências.

Quem pode acompanhar as várias modalidades de competição, pessoalmente ou mesmo através da tevê, surpreenderam-se ao assistir o quanto os atletas superam as diversidades e deficiências, competindo em alto nível. Pessoas que nasceram com alguma limitação ou sofreram lesões por acidentes ou mesmo acometidas por doenças que deixaram sequelas, uma visão limitada ou nula, a falta de um ou mais membros do corpo, etc., situação que poderiam levá-los a acomodação.

Mas a vida é feita de escolhas e estes escolheram viver, seguir em frente, desenvolver outras capacidades, competências e habilidades, superar limites e servir de exemplo para muitos acomodados, resmungões e folgados. Num destes dias de competições, a tevê da nossa sala estava ligada em num canal onde era apresentado um destes realitys shows, muito comum e de grande audiência nos tempos atuais. O pouco que vi, não por interesse, mas por me deparar com a tevê já ligada no programa, um jovem nos seus precoces 26 anos aproximadamente, gabava-se da sua condição de folgado. Sem trabalho e sem vontade de fazê-lo, sem estudar e ainda zombando da sua condição de sustentado pelos pais, em uma vida resumida em acordar tarde, frequentar baladas diárias até madrugada, bebedeiras, farras e só.

 Rapidamente um clique no controle e mudei o canal para acompanhar um pouco das competições paraolímpicas e quanta diferença. Os atletas eram pessoas portadoras de pequenas a severas necessidades especiais, diferente do jovem do realit, mas quantas capacidades, quantas autonomias. Isso automaticamente fez me perguntar a mim mesmo: Quem é o deficiente? O rapaz do reality ou os atletas paraolímpicos? Fala-se muito desta atual geração sobre um grupo de jovens conhecidos como nem-nem, ou seja, nem estudam, nem trabalham, não por falta de condições, mas por falta de interesse e vontade. Sugadores dos recursos familiares, eles utilizam-se do infantil discurso de que não pediram para nascer para nada fazerem.

Limitam-se a uma vida pequena e não crescem, estagnam e não avançam fases. Na vida há um tempo para cada etapa. Existe aquele período em que somos bebê e chupamos chupeta, mas isso passa e a abandonamos. Existe aquele momento em que somos crianças, amarramos um barbante em um carrinho e corremos na rua, puxando-o, mas isso passa. Vêm a adolescência, momento de algumas rebeldias, desafios e buscas, por vezes até algumas loucuras, mas isso também tem seu tempo e precisamos avançar, tornar-se adulto e assumir a condução de nossa vida.

No último Congresso do Amor-Exigente, realizado na cidade de Curitiba, o palestrante Mário Sérgio Cortella, brilhantemente falou sobre o segredo da vida. Segundo Cortella, a vaca não dá leite, é preciso tirá-lo. Portanto, quem nesta vida deseja realizar alguma coisa, precisa mover-se, correr atrás, preparar-se. Atingir objetivos exige empenho e dedicação. Há muita força de vontade, muita dedicação e preparo por detrás de cada medalha paraolímpica conquistada e para nós que acompanhamos, mais do que medalhas, há exemplos de vida em cada competição.

Texto de Celso Garrefa

Amor-Exigente de Sertãozinho SP

Veja também
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios
Autor do blog: Amor Exigente

E um canal destino a levar a mensagem de incentivo e reflexão proposta pelo grupo Amor Exigente.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com