A Falsidade do eleitor divinopolitano

Postado em 08/10/2018 18:06

A Falsidade do eleitor divinopolitano

É incrível como algumas pessoas mentem com uma facilidade admirável.  É um exercício do mau caratismo que eu precisaria de muita prática para conseguir imitar. As eleições mostram como a mentira é natural para grande parte dos brasileiros.  Usei divinopolitano no título mais pra chamar a atenção, porque na verdade, isto acontece em todo o país.

Antes do período eleitoral,  tinha muita gente que  falava mal do agora Deputado Estadual Eleito, Cleitinho. Diziam que era muito barulho pra nada, que a votação seria decepcionante e que o mesmo não tinha fôlego, estrutura ou assessoria para chegar onde chegou. Hoje, segunda-feira, um dia após as eleições, já encontrei com vários que disseram que sabiam que ele ia ganhar e com esta expressiva votação. Vários que ouvi com meus próprios ouvidos falando mal dele, agora se dizem eleitores de carteirinha.

O Deputado Federal Domingos Sávio passou por algo similar. Com uma votação sofrível em Divinópolis, não chegando aos quatro mil votos   onde reside e por onde já trabalhou muito. Como foi o único eleito para a Câmara Federal, se tornou o deputado favorito de todos.  A julgar pelos que dizem ter votado nele, deveria ter tido uns 20 mil votos de arrancada na cidade. Os outros 16 mil estão perdidos por aí na mentira alheia.

Isto ocorre por causa de mau caratismo latente que algumas pessoas tem.  Eles pegam dinheiro de candidato de fora para fazer campanha na cidade e depois, quando precisam de algo, batem na porta dos que moram aqui porque são mais acessíveis e nesta hora, se dizem eleitores exigindo ser atendidos.  Em alguns casos, mentem até para o de fora, pegam o dinheiro e não fazem nada, ou pegam dinheiro de dois ou mais candidatos enganando a todos.   

Estas eleições serviram para dar um fim a indústria do cabo eleitoral. Está muito claro que a transferência de votos é muito difícil e que o político precisa ser um líder de verdade, que convence pelo seu discurso e suas ações.  Dar visibilidade a isto se tornou mais importante do que contratar pseudo lideranças  que podem ter seus votos, mas não convencem ao ponto de transferir. O Próprio Jaime Martins amargou esta situação ao perceber que o filho Bruce não conseguiu 1/3 dos votos que ele teve nas últimas eleições.   

A não eleição de Bruce inclusive foi uma surpresa, lamentável inclusive. O candidato era recebido com abraços e elogios por onde passava. Assim como também foram vários outros   candidatos que se lançaram na disputa deste ano.  Quando deixavam o recinto era comum ouvir de alguém perguntando: esse é o famoso quem? Chegou agora e já quer ir pra Federal? Enfim, o que de desagradável ouviram sobre o candidato, falavam entre si, ao invés de questionar para quem melhor poderia esclarecer. 

Hoje, quase não se acha votos do Ciro ou do Haddad. Todo mundo votou em Bolsonaro, não sei como não foi eleito no primeiro turno! É a falsidade, mas em  um país onde o eleitor está cansado de   promessas feitas por políticos que nunca são cumpridas, é natural que ele se sinta à vontade para exercer seu papel de Pinóquio!

 

Veja também
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Real Time Web Analytics