Minas terá maior usina solar da América Latina e custará cerca de R$ 1,6 bilhão

Postado em 15/02/2016 8:45

15-02 Imagem Ilustrativa

15-02 Imagem Ilustrativa

Com investimento da ordem de R$ 1,6 bilhão, a maior usina de geração de energia fotovoltaica (solar) da América Latina será instalada em Pirapora, no Norte de Minas, pela espanhola Solatio Energia em parceria com a Canadian Solar, que fornecerá os painéis solares. A pedra fundamental do empreendimento será lançada hoje no município do Norte do estado. Segundo informou o presidente da Solatio Energia, Pedro Vaquer, serão gerados 2 mil postos de trabalho nas obras de implantação da unidade, que deverão ser iniciadas em junho. De imediato, serão feitos os serviços de terraplanagem. Ainda segundo Vaquer, quando a usina entrar em atividade serão empregadas 150 pessoas em caráter permanente.

A megausina de energia fotovoltaica vai entrar em funcionamento em agosto de 2017, quando deverá iniciar o fornecimento de 150MW para o Sistema Interligado Nacional de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica. O cronograma prevê que em novembro de 2017, a unidade passará a fornecer para o sistema nacional mais 90MW, alcançando uma geração de 240MW. A Solatio Energia venceu leilão realizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em agosto do ano passado para fornecimento de energia. Posteriormente, a empresa espanhola assinou os contratos com a Aneel estipulando os prazos para o início do fornecimento da energia considerada alternativa.

Atualmente, a companhia responde por 31% do mercado brasileiro de energia solar. O presidente da Solatio, Pedro Vaquer, disse que o objetivo da empresa é aumentar a sua capacidade de produção, devendo ampliar ainda mais a unidade de Pirapora. Para isso, a empresa pretende participar dos novos leilões do governo federal, promovidos pela Aneel, para a geração de energia solar. A usina do Consórcio Solatio/Canadian Solar em Pirapora vai ocupar uma área de 650 hectares, localizada na Fazenda Marambaia, a sete quilômetros da área urbana. A fazenda pertence a um grupo empresarial, que arrendou o terreno para a multinacional por 20 anos.

Além da incidência do sol na região, um fator que contribuiu decisivamente para a instalação da usina de energia fotovoltaica em Pirapora é a existência no município de uma subestação de energia, que permite a conexão da nova unidade geradora com o sistema nacional. O município também facilitou as negociações para a locação do terreno e contribuiu para que fosse concedida a licença de instalação do empreendimento, com a aprovação do projeto pela Superintendência Regional de Meio Ambiente (Supram).

O prefeito de Pirapora, Heliomar Valle da Silveira (PSB), o Léo Silveira, destaca que a instalação da usina de energia fotovoltaica terá um grande impacto na economia do município, com aumento da arrecadação a partir do recebimento de royalties.”Mas, não podemos olhar somente o ganho financeiro para a prefeitura. O empreendimento terá uma repercussão econômica, social e ambiental para toda a região”, afirma Silveira.

Silveira salienta que a energia solar,  chamada de “energia limpa”, tem uma grande vantagem pelo fato de ser produzida sem gerar danos ao meio ambiente. “As usinas fotovoltaicas geram energia de maneira bem diferente das hidrelétricas, que inundam grandes áreas, ocupando terrenos agricultáveis e desalojando pessoas. Além disso, causam impactos na fauna e na flora. Na produção de energia solar não ocorre nada disso”, comenta o prefeito piraporense.

.

Fonte: Estado de Minas

Veja também
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios
Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: