Copasa emite nota criticando deputados de Divinópolis

Postado em 05/01/2017 16:40

O decreto n° 12.375, publicado pela Prefeitura de Divinópolis no Diário Oficial dos Municípios Mineiros no dia 2 de janeiro de 2017 rendeu depoimentos e posicionamentos contrários. Já o ex-prefeito Vladimir Azevedo veio a público esclarecer e hoje a tarde foi a vez da Copasa emitir uma nota pública na tentativa de acalmar a situação, mas ao término das explicações criticou a ação dos parlamentares da cidade, citando o deputado federal Domingos Sávio e o estadual Fabiano Tollentino.

NOTA NA INTEGRA

Com relação ao decreto n° 12.375, publicado pela Prefeitura de Divinópolis no Diário Oficial dos Municípios Mineiros no dia 2 de janeiro de 2017, a Copasa esclarece que o decreto apenas ratifica o compromisso da empresa em concluir em 2018 as obras de implantação do sistema de esgotamento sanitário das bacias do Rio Itapecerica e do Rio Ermida.

Conforme reunião provocada pela Prefeitura de Divinópolis e mediada pela Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário do Estado de Minas Gerais (Arsae-MG) em 4 de agosto de 2016, foi acordado o prolongamento do prazo de conclusão das obras de 2016 para 2018, visto que o cancelamento do processo original de licenciamento ambiental pela SUPRAM/AF, por orientação do Ministério Público, atrasou o cumprimento do cronograma previsto no Anexo III – “Metas de Atendimento” – do Contrato de Programa. O novo processo de emissão da licença ambiental somente foi concluído no dia 10 de junho de 2016.

A Copasa informa ainda que as tarifas praticadas pela empresa são definidas pela Arsae-MG e são as mesmas em todas as cidades em que a empresa atua. Em Divinópolis, a tarifa referente aos serviços de tratamento de esgoto, que corresponde a 90% do valor do consumo de água, é cobrada somente daqueles clientes que já estão com seus esgotos coletados e direcionados à Estação de Tratamento de Esgoto – ETE Pará. O restante da população da cidade está interligada ao sistema público de esgotamento e é tarifada em relação aos serviços prestados com a coleta, transporte e manutenção do sistema existente, correspondendo a 50% do valor do consumo de água do imóvel.

Com relação as notas publicadas pelo deputado federal Domingos Sávio (PSDB) e pelo deputado estadual Fabiano Tolentino (PPS), as afirmações dos parlamentares demonstram o total desconhecimento do processo de obtenção de licenciamento ambiental, condição fundamental para a realização das obras.

Vale ressaltar que durante o governo anterior os parlamentares não manifestaram qualquer crítica ao modelo de Parceria Público Privada adotado para a realização das obras.

A Copasa repudia o oportunismo político dos parlamentares e o posicionamento “do quanto pior, melhor” e informa que, de forma transparente e republicana, dialoga com a população de Divinópolis em todos os momentos.

Att,

Assessoria de Imprensa – Copasa

Veja também
Comentários *Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. comentarios
Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: